Books read

Leticia's books

To Kill a Mockingbird
The Catcher in the Rye
The Great Gatsby
Of Mice and Men
Animal Farm
One Hundred Years of Solitude
Lord of the Flies
Romeo and Juliet
Little Women
A Tale of Two Cities
Frankenstein
The Count of Monte Cristo
The Secret Life of Bees
The Memory Keeper's Daughter
The Joy Luck Club
The Da Vinci Code
The Kite Runner
The Shining
The Silence of the Lambs
The Bourne Identity


Leticia's favorite books »

quarta-feira, 12 de março de 2014

www Wednesdays

Ainda seguindo o Should be Reading, vou usar a sugestão das quartas-feiras, que é...

To play along, just answer the following three (3) questions…

• What are you currently reading?
• What did you recently finish reading?
• What do you think you’ll read next?

basicamente, seria um Q Quartas, três perguntas com Q:
o Que você acabou de terminar de ler?
o Que você está lendo atualmente?
o Que você acha que lerá em seguida?

e minhas respostas são:

Acabei de terminar (ontem depois da meia noite, o que fez acordar hoje ficar bem mais difícil) o Charlotte Street, do Danny Wallace, que ganhei de aniversário na semana passada. Basicamente, a premissa é bem chick lit, embora tenha sido escrita por um menino: o jornalista Jason Priestley (infinitas gracinhas com o homônimo) fica acidentalmente com uma câmera descartável de uma moça e resolve encontra-la através das fotos reveladas. Nesse caminho a gente descobre que ele foi um cretino com a ex, é medíocre como profissional, e geralmente falando, bem tonto, mas assim mesmo ele vai 'growing on you', lentamente você se afeiçoa, dá risada, fica feliz quando as coisas dão certo e triste quando não dão.
Comecei a ler, na sequência, outro chick lit, The nearly weds, da Jane Costello. Ela é bem britânica, e como diz minha amiga, chick lit tem de ser britânica. Acabei de começar, (10% no Kindle), mas tá bem divertido, o que faz andar de metrô (lembra da batida de carro idiota?) mais legal - eu efetivamente ri alto no capítulo quatro, quando a babá, que aliás é de Liverpool (podia ser mais Supernanny que isso?), descobre que as crianças de quem vai tomar conta são órfãs de mãe (aposto todo meu dinheiro como ela vai se apaixonar pelo pai delas, mas a graça desses livros é essa, nénão?).
E acho que na sequência, pra sentir que estou fazendo um pouco mais de esforço mental, vou ler Police, do Jo Nesbo, um dos meus crime writers favorito (um pouco porque gosto de contar que o descobri literalmente no aeroporto de Heathrow, procurando algo novo pra ler no voo).

Um comentário:

  1. Eu gosto de ler chick-lit apenas quando estou em férias, geralmente têm a mesma receita, mas são histórias leves, ideal para uma viagem ou dia de descanso.

    ResponderExcluir