Books read

Leticia's books

To Kill a Mockingbird
The Catcher in the Rye
The Great Gatsby
Of Mice and Men
Animal Farm
One Hundred Years of Solitude
Lord of the Flies
Romeo and Juliet
Little Women
A Tale of Two Cities
Frankenstein
The Count of Monte Cristo
The Secret Life of Bees
The Memory Keeper's Daughter
The Joy Luck Club
The Da Vinci Code
The Kite Runner
The Shining
The Silence of the Lambs
The Bourne Identity


Leticia's favorite books »

segunda-feira, 30 de junho de 2014

Musing Mondays, (in) sensatas segundas

Musing Mondays asks you to muse about one of the following each week… • Describe one of your reading habits. • Tell us what book(s) you recently bought for yourself or someone else, and why you chose that/those book(s). • Tell us what you’re reading right now — what you think of it, so far; why you chose it; what you are (or, aren’t) enjoying it. • Do you have a bookish rant? Something about books or reading (or the industry) that gets your ire up? Share it with us! • Instead of the above questions, maybe you just want to ramble on about something else pertaining to books — let’s hear it, then! (do blog Should be Reading, lá da minha lista de blogs)

 Resolvi rebatizar o Musing Mondays pela aliteração Sensatas Segundas. Aí, ponderei, vocês vão concordar que com razão, que baseada nas últimas segundas, não dava pra garantir muita sensatez, e acrescentei o prefixo para garantir a credibilidade...

Book shelfie (autorretrato, ou selfie, da estante), próxima parte, tags book shelfie:


No último canto, perto da porta, tenho uma pilha de jogos, alguns daqui, alguns que trouxe de fora (e jogo pouco porque são em inglês, mas são tão legais que não resisti a trazer!)

Aqui tenho literatura de modo geral, alguns muito legais (Kazuo Ishiguro, Jhumpa Lahiri, Iris Murdoch, a coleção do Game of Thrones, o livro The Road, que é muito bom... várias pérolas).


Esse é o nicho "não dá pra negar seu passado" (bom, acho que tenho vários desse, rsrsrs). Trabalhei 20 anos em escolas de idiomas, como professora, coordenadora, gerente, o que quer que seja, e acho cultura de outra língua uma coisa fascinante, até por ter pais imigrantes. Aí uma coisa levou a outra, e acabei com essa coleçãozinha pequenina sobre os britânicos, que são um povo decididamente interessante. 


Seguimos juntos? Tem alguém aqui ainda, será?

quinta-feira, 26 de junho de 2014

tag literária Não sei o que responder...

Perguntas que me fazem e eu sempre tenho a mesma reação:


1. Que livro te representa? (lembro sempre do Walt Whitman, eu sou uma multidão!)
2. Fala mais sobre esse livro. (Se eu comecei a falar de um livro, já estou gaguejando porque gosto dele (ou o odeio), e se você quer a resenha, é por isso que eu sempre a copio nos links, hahaha! o que eu gostaria de falar sobre ele é o que estou dizendo, pode acreditar)
3. Tem algum gênero que você jamais leria? (eu já li livro espírita, livro erótico, história em quadrinhos, não ficção, ficção, livro de história, poema concreto, poesia clássica... algumas coisas gosto muito mais que outras, mas dá pra saber se não leria alguma coisa?)
4. Que livro você escreveria? (obviamente, o que eu escrevi (publiquei um livro quando adolescente, e uns contos nuns concursos que ganhei). Das obras publicadas? obviamente, isso é uma pergunta bem hipotética né rs? como responder? o quão maluca a pessoa tem de ser pra dizer, ah, eu escreveria facilmente os livros do Harry Potter, .... só não o fiz. afeee rs
5. Que livro você abomina? ok, agora pensando bem, acho que tenho sim uma resposta: o Malleus Malleficarum, o manual da inquisição, que eu tive o desprazer de conhecer ao fazer minha monografia sobre o feminino na faculdade, acho que eu abomino. Mas livros são livros.
6. If you could read only one book for the rest of your life, which one would it be? (Se você pudesse ler um só livro pelo resto de sua vida, qual seria?) (vamos lá: quais seriam as circunstâncias: porque posso escolher pelo humor, por reviver os personagens, pela praticidade (tipo, escolher As obras completas de Shakespeare), porque já reli várias vezes, porque acho que me daria insights, porque na velhice seria fácil de ler... poxa, são muitas variáveis!!!)

Fique beeem à vontade pra tentar responder.

quarta-feira, 25 de junho de 2014

QQQ Quartas, www Wednesdays

Should be Reading (fonte)

To play along, just answer the following three (3) questions…
• What are you currently reading?
• What did you recently finish reading?
• What do you think you’ll read next?


basicamente, seria um Q Quartas, três perguntas com Q:


o Que você acabou de terminar de ler?
o Que você está lendo atualmente?
o Que você acha que lerá em seguida?


Vamos lá:
Acabei de ler Forgive me, Leonard Peacock, do Matthew Quick (link em português).  O autor é o cara do O lado bom da vida, lembra? É um livro sobre um menino adolescente que quer se suicidar com uma arma nazista herdada. Ou seja, claro que será triste, mais um daqueles momentos nos quais você pensa que alguns pais não deviam ser pais, que os adolescentes são realmente sofridos de forma autêntica e  triste, e que há muito mais atrás de cada tristeza do que parece. Assim mesmo, não me apaixonei. Eu já tinha lido outro livro dele e tive a mesma sensação, então essa foi sua última chance. Há muitos livros no mundo, não posso continuar gastando tempo com os mesmos 'meh'.
Li dois livrinhos tontos (freebies) chamados Connected by the sea e Tear, romances que não vão merecer uns parágrafos aqui. Se estiver loucamente interessado, acho que escrevi algo no goodreads.
Li Supreme Justice, do Max Alan Collins, veio como Kindle First. Interessante, um livro sobre assassinatos de juízes e presidentes conservadores do Supremo tribunal dos EUA, investigado por um ex membro de agência que usa métodos fora do comum chamado Joe Reeder (e cuja história, se mais investigada, tornaria o livro mais interessante). O autor escreveu Road to perdition, aquele que virou filme com o Tom Hanks, e foi interessante, mas nada além de três estrelas e nada que supere assassinatos ou crimes tipo Stieg Larsson, Henning Mankell, Karin Slaughter e afins.
Li Gabrielle Zevin, Memoirs of a teenage amnesiac, e cheguei à conclusão de que, embora eu a prefira como autora de livros para adultos, ela é ok escrevendo YA. O livro é sobre Naomi Porter, uma adolescente que cai de uma escada e tem apagados da memória os últimos 4 anos, durante os quais aconteceram várias coisas, do divórcio dos pais, nascimento da irmã, mudança de casa, ingresso num clube, namoro... e como ela, de maneira bem egoísta e às vezes desajeitada, tenta ir se readaptando.
Li Espero alguém, do Fabrício Carpinejar, um cronista portoalegrense. O sujeito ganhou um montão de prêmios literários, então estava esperando algo muito legal. Foi só legal. Algumas crônicas bem interessantes (gostei de uma na qual ele fala sobre o uso do banheiro para homens e mulheres, outra na qual ele fala da família...), outras nem tanto. Pra ler na praia, sem prestar muita atenção.



Estou lendo...  El juego de Ripper, bem devagarinho, pra não acabar logo, e Dear life, da Alice Munro (primeiro livro que leio dela).


Lerei em seguida... Estava pensando em brincar de Cassandra Clare, ouvi dizer que aquela coleção nova, Shadowhunt alguma coisa, pode ser divertida...


terça-feira, 24 de junho de 2014

teaser Tuesdays, temperinho da terça - Memoirs of a teenage amnesiac, Gabrielle Zevin

“My dad always says to listen for the pauses when you want to know if someone’s hiding something.” 
(Meu pai sempre diz para escutar as pausas quando você quer saber se alguém está escondendo algo.)

Are you in or are you out?
In, I guess? In my opinion, it is always better to be in if someone gives you the choice. But actually I had no idea what the girl was talking about. 
(Você está dentro ou fora?
Dentro, acho? Na minha opinião, é sempre melhor estar 'dentro' se alguém te dá escolha. Mas de fato eu não tinha ideia do que a garota estava falando.)


segunda-feira, 23 de junho de 2014

Musing Mondays, (in) sensatas segundas

Musing Mondays asks you to muse about one of the following each week… • Describe one of your reading habits. • Tell us what book(s) you recently bought for yourself or someone else, and why you chose that/those book(s). • Tell us what you’re reading right now — what you think of it, so far; why you chose it; what you are (or, aren’t) enjoying it. • Do you have a bookish rant? Something about books or reading (or the industry) that gets your ire up? Share it with us! • Instead of the above questions, maybe you just want to ramble on about something else pertaining to books — let’s hear it, then! (do blog Should be Reading, lá da minha lista de blogs)

 Resolvi rebatizar o Musing Mondays pela aliteração Sensatas Segundas. Aí, ponderei, vocês vão concordar que com razão, que baseada nas últimas segundas, não dava pra garantir muita sensatez, e acrescentei o prefixo para garantir a credibilidade...

Book shelfie (autorretrato, ou selfie, da estante), próxima parte, tags book shelfie:


Bom, tenho dois nichozinhos com os livros da graduação (doei ou vendi quase todos, mas sempre tem alguns que são preciosos e eternos, ou de fato interessantes de ler, como O comportamento do Consumidor, ou os do Winnicott, ou da Françoise Dolto, que recomendo pra qualquer um que tenha ou conheça crianças.)



Abaixo dos franceses tenho Nick Hornby e Roald Dahl (os de cima são emprestados que tem de ser devolvidos, esse nicho fica perto da porta e assim não me esqueço).


Prontos pra próxima semana?

sábado, 21 de junho de 2014

Não sei!


O que nesse planeta poderia ser mais luxuoso que um sofá, um livro, e uma xícara de café?

sexta-feira, 20 de junho de 2014

sexta-feira feliz

depois de um almoço no Mestiço (tudo naquele restaurante é perfeito!), compras na Livraria Cultura, cafezinho na Paulista e passeio no MASP, (queria ver o acervo do colecionador belga brasileiro e a exposição de fotografia, Cidades invisíveis), considero meu dia bem vivido :)

quinta-feira, 19 de junho de 2014

tag literária - fatos e perguntas

Essa 'emprestei' da Maria, do BombuTeco :) Como já falei fatos no primeiro desafio (http://oslivrosdosprazeres.blogspot.com.br/2014/01/desafio-dos-30-dias-dia-2.html), vou só responder às perguntas que a Maria respondeu e que fiquei respondendo sozinha ao ler (Batman, santo egocentrismo...)

1 - Quais são seus escritores favoritos?
Huhu, não tem limite minha gente! Lygia Fagundes Telles, Paul Auster, Clarice Lispector, Jonathan Coe, Sophie Kinsella, Luis Fernando Veríssimo, Roald Dahl, José Saramago, Philip Pullman, Lionel Shriver, Fernando Morais.
2 - Existe um livro em especial que marcou seu início de vício pela leitura?
Me lembro dos livros que li na 3a. e 4a. série e gostei MUITO, porque foi a primeira 'carteirinha de biblioteca' que eu quis fazer. O pássaro azul, O menino do dedo verde. Aí na outra escola, a gente tinha a tal aula na biblioteca e era claro minha coisa favorita: dessa época, lembro do Eramos seis, (e a coleção Vagalume inteira), as coleções do Para gostar de ler (agora pensando bem acho que era meio precoce pra minha idade, mas eu morava em avenida e não tinha muito mais o que fazer além de ficar lendo).
3 - Qual adaptação de livro para o cinema você realmente gostou?
Precisamos falar sobre Kevin, da Lionel Shriver, foi bem fiel. Pesado e triste, mas fiel. 
4 - Você gosta de ler poesia?
Sim, embora não conheça muito.
5 - Existe algum estilo literário que você goste mais?
O tal YA (Young Adult), livros juvenis, acho que nunca cresci. Chick lit, literatura escrita por e para mulheres de 25 a 40 anos, geralmente inglesa, idem. Gosto bastante de livros surpreendentes, como os do Roald Dahl, e de literatura contemporânea, como Lygia, falando de gente que você consegue 'ver'.
6 - Você já perdeu algum livro?
Na empolgação de 'Você TEM de ler esse livro', às vezes empresto uns que não voltam.
7 - Qual é o seu lugar preferido para ler?
Mencionei obsessivamente a poltrona de leitura, e semana passada falei da segunda opção (na página do facebook, a capa é uma foto dela: da rede, olhando para árvores, com som de passarinho).
8 - Você costuma ler ouvindo música?
Não. Fico meio confusa, querendo prestar atenção na música. Muito raramente, música clássica, ou instrumental, se eu estiver muito no clima e combinar com o livro.
9 - Consegue sair de uma livraria sem comprar nada?
hahahaha. Não.
10 - Já deixou de ler algum livro pela capa?
Fico com ódio de capas feias. Acho o trabalho editorial uma das coisas mais lindas do mundo e é uma decepção que ele às vezes fique 'estragado' por isso. Também hoje trabalho numa empresa cuja área de criação é um primor, então presto ainda mais atenção nisso.
11 - Que livro você considera que deve ser leitura obrigatória para todas as pessoas?
Também já cobri esse assunto: sou meio radical, acho que todo mundo devia ter livros como algo prazeroso e não 'desistir', é meio aquilo de criança que não quer tomar banho ou comer, pra mim é igualzinho, rs... não como algo forçado, claro, mas se as pessoas 'acham graça' de os outros 'detestarem' livros ou 'não terem paciencia', que tipo de cidadãos estamos cultivando? fico meio preocupada. Podem ser livros, revistas, gibis, tem tanta coisa por aí! pode inclusive ser internet, mas algo mais dirigido, né? a gente hoje tá muito acostumada a 'scroll down' e pular da página. 
Isso dito, não sei que livro deveria ser obrigatório para todo mundo. Claro que o pensamento vai para literatura clássica, mas devo confessar que a primeira vez que li O velho e o mar ou Dom casmurro, adolescente ainda, eu não estava pronta e não gostei. Só achei absolutamente maravilhosos (e chorei, e comprei pra dar de presente) depois dos 20 anos. O que eu acho então é que tinha de ser obrigatório todas as pessoas lerem alguma coisa, rs, mesmo que seja literatura mais 'pobre' (tenho algumas coisas na cabeça quando digo isso, mas não vou expressá-las), porque ler é ler. 

quarta-feira, 18 de junho de 2014

www Wednesdays, QQQ Quartas

Should be Reading (fonte)

To play along, just answer the following three (3) questions…
• What are you currently reading?
• What did you recently finish reading?
• What do you think you’ll read next?


basicamente, seria um Q Quartas, três perguntas com Q:


o Que você acabou de terminar de ler?
o Que você está lendo atualmente?
o Que você acha que lerá em seguida?


Vamos lá:
Acabei de ler O caso do homem que morreu rindo, do Tarquin Hill. Ele parecia interessante, estava num display na livraria e eu caí no impulso. Big, big mistake. Quem às vezes passa por aqui sabe que eu gosto bastante da literatura indiana (não tenho ideia se isso é um gênero, mas gosto da coisa meio fantástica, bem típica, cheia de misturas e cheiros que é quase impossível não sentir), mas ao mesmo tempo que às vezes a gente hit the jackpot (tira a sorte grande), uma expressão que aliás encontro com frequência nesses livros sei lá porquê, já que vem de jogos de azar, outras... bom, é um crime, e tem um fim à la O caso dos dez negrinhos (pronto, já dei o final). Mas tem umas misturas no meio que ficam confusas e fazem qualquer final ficar sem graça. Foi uma estrela no goodreads, e eu costumo ser simpática com as estrelas...
Li The Sister Season, da Jennifer Scott. Foi num dia empolgado, porque como meu dedo é meio atrevido, não costumo comprar livros de 8 a 15 dólares sem pensar muuuito. Mas geralmente livros sobre família me atraem, acho que o Tolstoi foi genial quando falou aquilo de "As famílias felizes são todas meio parecidas, as infelizes o são cada uma à sua maneira" - é o começo de Anna Karenina. E tenho uma irmã que amo mais que chocolate, mas sei que o relacionamento fraternal não é nada fácil, então achei que podia ser legal. 
Foi, mas não o tanto que eu esperava. São três irmãs, se encontrando para o funeral do pai, e algumas não se falam há oito anos, e bem, tive dificuldade em entender isso. Principalmente porque o final foi bem idílico, dando a entender que subitamente estava tudo tão melhor. Não sei, foi interessante, crível, sólido em alguns momentos, mas achei bem conceitual...
E terminei The immortal crown, da Richelle Mead, o segundo volume da Era de X, seguindo O Tabuleiro dos deuses. Falei dele ontem, estou meio apaixonada pelo Justin e Mae. (embora eu sempre falhe em imaginá-la loira, pra mim ela sempre foi morena, vê como sou teimosa? o apelido dela é Finn, de Finlandesa, ela é beem looira, mas pra mim Mae Koskinen simplesmente soa como morena). A história é interessante, os deuses Odin e Freya dão um pano de fundo peculiar o suficiente sem se tornar cansativo, até agora, e até as partes muito malucas eu aceito numa boa. Tô bem empolgada. Só que termina num momento que eu falei 'Você tá brincaaando!' tão alto que meu amorzinho até interrompeu o jogo Colômbia e Grécia pra ver o que eu estava fazendo hahahah...
Li o Salem's lot, do Stephen King. Eu esperava bastante dele. Deixa eu pensar como dizer o que eu achei: por vezes, bem assustador. Por vezes, narrativa se arrastando. Por vezes, clichê. Pra ser um dos livros de vampiro nos quais eles eram realmente assustadores, vale - e pra falar bem a verdade, o que me deixou com muito, muito ódio mesmo, era a moçoila que batia no seu bebê, me fez perder a vontade de ler o livro mais vezes que os ataques sanguinolentos dos vampiros. (aconteceram três ou quatro vezes, mas não é algo que você consiga ler com facilidade). 
Li The No kids club, da Talli Rolland, um livro que peguei emprestado no Amazon Prime. Li numa ida e volta de metrô, porque era relativamente fluido e porque estava bem curiosa sobre como a autora ia desenvolver o tema. Basicamente, começa com uma médica, Clare, de 39 anos, terminando um relacionamento com um cara de quem tinha gostado (conhecido online, após várias tentativas frustradas) porque ele diz que gostaria de ter filhos e ela tem certeza que não. Ela decide fundar um clube (o do título), que começa com uma página no Facebook, e mais tarde, atraindo a atenção de um produtor de tv, fica famoso e atrai várias pessoas. Algumas outras pessoas: Anna, que tem um relacionamento que parece idílico só da parte dela com o parceiro, e Poppy, que crê que só será feliz quando tiver um filho biológico e sacrifica muita coisa por isso. 
Eu gostei de algumas coisas, mas a personagem principal me incomodou bastante. Acho que não posso dizer porquê sem revelar o que acontece no final, então você vai ter que acreditar em mim. Mas ficou um gostinho de 'quase'.


Estou lendo...  ahhh, confissão: comprei um livro da Gabrielle Zevin, aquela do AJ Fikry, chamado Memoirs of a Teenage Amnesiac, só porque era dela. E sim, comecei El juego de Ripper, porque Isabel Allende é simplesmente muito amor.

Lerei em seguida... Estava pensando em brincar de Cassandra Clare, ouvi dizer que aquela coleção nova, Shadowhunt alguma coisa, pode ser divertida...



terça-feira, 17 de junho de 2014

teaser Tuesdays - temperinho da terça - Richelle Mead, An immortal crown

Essa foi difícil de escolher, porque todos os pedaços que eu grifei talvez pudessem ser considerados spoilers, então me ative aos românticos - Justin March está rapidamente se tornando um dos meus herois (cadê o guia ortográfico? heróis ainda tem acento? alguém me ajuda?) prediletos.
O livro é sequência do Tabuleiro dos deuses, se chama An immortal crown, e ainda não está disponível em português.
Só devo te dizer uma coisa... não vi nada sobre a sequência ainda, na Amazon nem na Cultura, e o final...

Ainda assim, veja bem se o Justin não vale a espera:

“The truth was, Justin wasn’t sure he could handle the face of her gratitude. He’d meant it: Her anger was easier to deal with. He could stay strong against that. But a kinder, gentler Mae . . . one who was looking at him like that . . . well, that was too much. It was too great a reminder of what hung over him, that she was the woman Odin had picked out for him, one who held the key to his undoing.” 

“All those other flings I’ve had are just ashes in the wind, scattered and forgotten. But you . . . you’re the real thing. The fire that keeps burning in my life. You’re the one. There’s no one else I feel this connected to. And if I could do all those things, stay with you, make love—with the lights on—tell you everything that weighs on me, I would.” 



segunda-feira, 16 de junho de 2014

Musing Mondays, (in) sensatas segundas

Musing Mondays asks you to muse about one of the following each week… • Describe one of your reading habits. • Tell us what book(s) you recently bought for yourself or someone else, and why you chose that/those book(s). • Tell us what you’re reading right now — what you think of it, so far; why you chose it; what you are (or, aren’t) enjoying it. • Do you have a bookish rant? Something about books or reading (or the industry) that gets your ire up? Share it with us! • Instead of the above questions, maybe you just want to ramble on about something else pertaining to books — let’s hear it, then! (do blog Should be Reading, lá da minha lista de blogs)

 Resolvi rebatizar o Musing Mondays pela aliteração Sensatas Segundas. Aí, ponderei, vocês vão concordar que com razão, que baseada nas últimas segundas, não dava pra garantir muita sensatez, e acrescentei o prefixo para garantir a credibilidade...

Book shelfie (autorretrato, ou selfie, da estante), próxima parte, tags book shelfie:


A luz divina está iluminando alguns dos livros dos quais não consegui me desapegar que tem a ver com ELT (English Language Teaching), seguidos de alguns livros de literatura brasileira, incluindo os que eu amo do Jorge Amado, os do Saramago, os do Veríssimo (pai).


A outra luz divina ilumina, do outro lado, alguns outros da mesma 'família', que não couberam na foto: ensino de idiomas (tem dois de filosofia perdidos ali) e a coleção de Friends-amor profundo, pra eu ter certeza que ninguém pode mexer nela.


Na última prateleira, ao lado de revistas que eu não consegui desapegar por alguma razão, temos livros sem teto (de moda, por exemplo) junto com os dicionários.


domingo, 15 de junho de 2014

Você conhece? e Walt Whitman

'Tropecei' no bookcrossing sexta, indo ao Sofá café, um café fofo na rua de trás de onde trabalho que tem duas estantes com livros que me chamaram, quer dizer, chamaram minha atenção. Aí acabei descobrindo que o lugar era um dos pontos do Book Crossing, que é um movimento que eu já conhecia mas que havia esquecido.
Resultado, amanhã deixo dois livros lá (o Era uma vez um segredo e o O homem que morreu rindo); no sebo aqui ao lado eles iam me render 10 reais e custar mais 10 porque certeza que eu ia querer comprar mais um livro, e achei a ideia muito bonitinha e agora, não tenho desculpas, porque é conveniente.
Basicamente, você se cadastra no site, cadastra o livro que quer deixar, e o 'liberta' por aí, mandando boas vibrações. Se você conhece algum dos pontos de troca, pode pegar outro e 'capturá-lo' e deixar o registro do trajeto no site também. Fácil, né?

Te deixo com "Onde meus livros vão", do Walt Whitman, como inspiração:

Todas as palavras que eu coleto,
e todas as palavras que eu escrevo,
devem espalhar suas asas incansavelmente,
e nunca descansar em voo,
Até que vão onde seu coração triste, triste está,
E cantem para você à noite,
Além de onde as águas estão se movendo,
na tempestade escura ou brilho estrelado."
(note que a versão é minha, consequentemente, tosca. Mas é tão lindo que é difícil estragar.)

sexta-feira, 13 de junho de 2014

tag literária - book blogger (blogueiro de livros)

Esse eu peguei do Aeropapers, um blog bem fofinho que eu gosto, e eles pegaram de alguém também: http://bookish.skycircus.org/2014/06/03/the-book-blogger-test/ Me pediram que mantivesse em inglês e português, então perdoem as versões toscas.




What are your top three book pet hates? (Quais são as três coisas que você mais odeia em termos de livros?)
  • Deceiving book jackets (contracapas enganadoras).
  • The amount of time it takes between book series. (a quantidade de tempo que demora às vezes entre os volumes de séries).
  • Paying a lot of Money for a book just because of taxes, and not because it is pretty and a carefully designed edition. (pagar muito dinheiro por um livro somente pelos impostos, e não por ser uma edição bonita e cuidadosamente desenvolvida).
  • The covers for the alleged erotica. (as capas dos livros ‘sexy’).

Describe your perfect reading spot. (Descreva seu lugar perfeito para ler).
  • Já falei dele aqui: http://oslivrosdosprazeres.blogspot.com.br/2014/04/tag-literaria.html. Fora da poltrona mágica, acho que uma rede, um lugar que tenha vista para árvores.
  • I've mentioned it before: http://oslivrosdosprazeres.blogspot.com.br/2014/04/tag-literaria.html. Aside from this seat, I guess a hammock, and anywhere where I can raise my eyes and see trees.

When was the last time you cried during a book? (Qual foi a última vez que você chorou lendo um livro?)
 
  • Just last week, reading Gabrielle Zavin’s The storied life of AJ Fikry… can’t say why because it would be a spoiler, but I did cry more than once…
  • Semana passada, lendo A vida do livreiro AJ Fikry, da Gabrielle Zavin… não posso dizer porquê porque acho que revelaria algo sobre o livro, mas devo dizer que chorei mais de uma vez...
How many books are on your bedside table? (Quantos livros estão na sua mesa de cabeceira?)
  • At least six, right now, because I have this stupid rule that only makes me suffer that won’t allow them to go to the bookshelves until they are read.
  • No mínimo seis nesse momento, porque eu tenho essa regra idiota que só me faz sofrer de não permitir que eles vão para as estantes até que sejam lidos.
What is your favourite snack whilst your reading? (O que você gosta de comer enquanto lê?)
  • To tell you the truth, I like having things to nibble, but rarely do I actually eat them: I find it distracting or dangerous (they can stain my kindle or the book pages!). What I absolutely need is water.
  • Pra falar a verdade, eu gosto de ter umas opções de coisinhas pra beliscar, mas raramente as como: acabo achando que elas me distraem ou são perigosas (podem manchar o kindle ou as páginas do livro!). O que eu não posso ficar sem é água.
Name three books you would recommend to everyone. (Cite três livros que você recomendaria para todo mundo).
  • I am under the impression that I answered that question already at some point, but here it goes: I think most people would have fun with the Verissimos (the father, Erico, with O tempo e o vento, or Olhai os lirios do campo, or Clarissa; the son, Luis Fernando, with the Comédias da vida privada).  I think short stories are a good way of ‘enticing’ new readers, so maybe the Para gostar de ler anthologies, or, within a certain genre, Roald Dahl’s ones are absolutely amazing. And there I go, there are four suggestions already.
  • Tenho a impressão de já ter respondido essa pergunta em algum momento, mas lá vai: Acho que a maioria das pessoas se divertiria com os Verissimos (o pai, Erico, com O tempo e o vento, ou Olhai os lírios do campo, ou Clarissa; o filho, Luis Fernando, com comédias da vida privada). Acho que contos são um bom jeito de ‘seduzir’ novos leitores, então talvez as coleções do Para gostar de ler, ou, dentro de um certo gênero, mais maduro, os contos do Roald Dahl são absolutamente fantásticos. E pronto, já dei quatro sugestões!
Show us a picture of your favourite bookshelf on your bookcase. (Mostre uma foto da sua prateleira favorita na sua estante).
  • It’s the shelf with the Kinsellas, I think. The books are all colorful and cute, and match. But don’t make me choose one, it’s worse than choosing one of my cats.
  • Acho que é a prateleira das Kinsellas, com os livros coloridos e fofos, combinando. Mas não me faça escolher uma, é pior que escolher uma das gatas.
Write how much books mean to you in just three words. (Escreva o que livros significam para você em somente três palavras).
My first love. Meu primeiro amor.

What is your biggest reading secret? (Qual o seu maior segredo como leitora?)
  • Certainly, the fact that I read the endings first – and it never makes me like the book any less. Maybe also the fact that I fall in love with the whole concept of the book, so sometimes I don’t even remember the characters’ names, just the way the book made me feel.
  • Com certeza, o fato de ler os finais primeiro – e isso nunca me fazer gostar menos do livro. Talvez também o fato de que eu me apaixono pelo conceito inteiro do livro, então às vezes não me lembro sequer dos nomes dos personagens, somente do jeito que o livro me fez sentir.

quarta-feira, 11 de junho de 2014

www Wednesdays, QQQ Quartas

Should be Reading (fonte)

To play along, just answer the following three (3) questions…
• What are you currently reading?
• What did you recently finish reading?
• What do you think you’ll read next?
basicamente, seria um Q Quartas, três perguntas com Q:
o Que você acabou de terminar de ler?
o Que você está lendo atualmente?
o Que você acha que lerá em seguida?

e minhas respostas são:

Li Amor, da Isabel Allende. Assim como falei da Maitena semana passada, a Isabel Allende tem uma narrativa deliciosa. Eu sempre fico imaginando alguém com quem podia sentar e um assunto emendar no outro e facilmente tomarmos vinte espressos na sequência enquanto conversamos. O livro é uma coletânea, e nunca havia me interessado porque na verdade salvo ledo engano meu eu tenho todos os livros dela e sempre acho que isso é uma enganação das editoras para ganhar dinheiro. Mas aí descobri que ela foi quem organizou a coletânea; ela comenta cada sessão (coisas como "Primeiro amor, Na maturidade, Humor e Eros") e abre e fecha o livro com sua própria colocação.
Pra quem nunca leu Isabel Allende (Maria, você está por aqui?), talvez seja uma boa, porque traz um pedacinho de cada um dos personagens. Eu honestamente não sei. Acho que quem gosta do tipo de narrativa dela (alguns dos livros, como A casa dos espíritos, são bem voltados prum realismo meio fantástico, tipo Garcia Marquez) gosta de quase tudo, mas mesmo eu tenho favoritos indiscutíveis, como Cuentos de Eva Luna (que gosto muito mais do que Eva Luna, ironicamente). de qualquer jeito, valeu a tarde deliciosa lendo sobre os amores sempre intensos que ela traz.
Li também um freebie do Kindle, Coulda been a cowboy, da Brenda Novak (checa o goodreads). Um dos poucos freebies que me dei ao trabalho de terminar, porque era fofinho. Um jogador profissional de hóquei descobre que tem um filho e se apaixona pela babá, que tem uma vida difícil com um pai abusivo. Bonitinho, no estilo romance-que-você-vai-esquecer-logo.


O que eu estou lendo: como eu 'passei' a Isabel na frente dos outros, continuo lendo o que estava lendo semana passada (uma amiga do escritório conseguiu uma vaga no estacionamento super concorrido bem na frente do prédio, e não tive coragem de recusar; resultado, perdi o tempo de leitura do metrô, viu como estou toda atrasada???) 

 Comecei o The sister season, da Jennifer Scott, o The Immortal Crown, da Richelle Mead (sequência daquele Tabuleiro dos deuses que eu gostei muito mês passado), e o Salem's lot, do Stephen King.


O que vou ler em seguida: El juego de Ripper.

terça-feira, 10 de junho de 2014

teaser Tuesdays, temperinho da terça - Amor, Isabel Allende


"Você tocou seu corpo com as mãos? - perguntou (o padre).
Sim, padre - balbuciei.
Muitas vezes, minha filha?
Todos os dias...
Todos os dias! Essa é uma ofensa gravíssima aos olhos de Deus, a pureza é a maior virtude de uma menina, você deve me prometer que não fará mais isso!
Prometi, embora não conseguisse imaginar como iria lavar o rosto ou escovar os dentes sem tocar meu corpo com as mãos."

"Nesta cultura, que supervaloriza a juventude e a beleza, são necessários muito amor e alguns truques de ilusionista para manter vivo o desejo pela pessoa que antes nos excitava e agora está achacosa e gasta. Em minha idade respeitável, na qual me dão desconto no cinema e no ônibus, tenho o mesmo interesse de sempre pelo erotismo. Minha mãe, que completou 90, diz que isso nunca acaba, mas é melhor não espalhar, porque o resultado é chocante; supõe-se que os velhos são assexuados, como as amebas."

"O amor longo, bem vivido e sofrido, é o que mais me interessa e também o mais difícil de relatar, porque carece de suspense. A paixão é muito valiosa sob o ponto de vista literário e cinematográfico, já que as peripécias de dois seres consumidos pelo desejo nos excitam a todos; isso explica o sucesso da pornografia, embora nesse caso o desejo seja fingido."

um pouco mais de Isabel Allende aqui.

segunda-feira, 9 de junho de 2014

Musing Mondays, (In)sensatas segundas

Musing Mondays asks you to muse about one of the following each week… • Describe one of your reading habits. • Tell us what book(s) you recently bought for yourself or someone else, and why you chose that/those book(s). • Tell us what you’re reading right now — what you think of it, so far; why you chose it; what you are (or, aren’t) enjoying it. • Do you have a bookish rant? Something about books or reading (or the industry) that gets your ire up? Share it with us! • Instead of the above questions, maybe you just want to ramble on about something else pertaining to books — let’s hear it, then! (do blog Should be Reading, lá da minha lista de blogs)

 Resolvi rebatizar o Musing Mondays pela aliteração Sensatas Segundas. Aí, ponderei, vocês vão concordar que com razão, que baseada nas últimas segundas, não dava pra garantir muita sensatez, e acrescentei o prefixo para garantir a credibilidade...

Book shelfie (autorretrato, ou selfie, da estante), parte 2:


O primeiro nicho de livros é esse aqui:

Ele tem os livros do Brian Andreas, aquele do Story People que eu falei, sabe?, do Jonathan Coe, da Clarice, do Veríssimo, do Ted Nancy, e os dois que eu ganhei nesse ano de aniversário, o Post Secret e o Humans of New York (se você não conhece as páginas, valem muito a visita, são lindas!). Agora tô olhando e achando que estão faltando pelo menos dois livros, um da Clarice e um do Coe. Droga.

O segundo nicho de livros, abaixo desse, é esse aqui:
Esse tem o primeiro livro, que eu ganhei aos 9 ou 10 anos, da prima cubana da minha mãe, chamado Corazón (falei dele em algum post), é lindo demais. E aí tem alguns espanhóis e latinoamericanos, os da Rosa Montero, inclusive o autografado da Flip, os do Garcia Márquez, Javier Marías, Espido Freire, Rosa Chacel, alguns livros muito muito lindos. Faltam aqui alguns do Carlos Ruiz Zafón, porque estão emprestados, e aí o Mario Benedetti, que eu amo, foi promovido a essa estante (ele pertence à de baixo, que tem Neruda, Isabel Allende e Cecília Meireles, há método na minha loucura, acredite ou não.)

O terceiro nicho, portanto, ficou com uma coleção de poemas do Reading with the ears, que é um evento patrocinado pela Cultura Inglesa, muito bonito, alguns outros livros de poemas, antologias, a Cecília Meireles, o Neruda, e a pilha que não dá pra ver é a Isabel Allende, mas eu mostrei em outro post).


Próximo capítulo na próxima segunda :)

quinta-feira, 5 de junho de 2014

tag literária - Sua vida em livros

Sua vida em livros, tag daqui. 
Mas dei uma adaptada, pra alguma das perguntas que não consegui responder, rsrs...

1) Escolha um livro para cada uma de suas iniciais.

Livro das ilusões, O, Paul Auster
2) Conte sua idade pelos livros de sua estante: qual é o livro?
Nessa pergunta é preciso contar a sua idade pelos livros da sua estante, da esquerda para direita, como explicou a Gabi.
Deu More Letters from a Nut, do Ted Nancy. Deixa eu ver como explicar... Esse sujeito (o prefácio do livro é escrito pelo Jerry Seinfeld) dedicou algum tempo de sua vida, uns quinze anos atrás, a escrever cartas absurdas a lugares. Por exemplo, prum hotel, dizendo que ia estar vestido de urso os dois dias que estivesse hospedado lá. A graça é que o tom das cartas era superformal, com linguagem correspondente, e ele descrevia com mínimos detalhes, então num caso desse, ele diria que estaria vestido de urso no café da manhã, na piscina, no check in, etc, e precisava não ser incomodado, por exemplo, inclusive porque estaria urrando e não falando, para efeito do 'papel'. Aí... o hotel responde! As respostas são de morrer de rir. Tem de tudo, gente concordando com as maluquices (Sim, o senhor pode utilizar a piscina vestido de urso, mas o salva vidas não será responsável pelo senhor se a fantasia for muito pesada), gente com respostas padrão, etc. Cada carta tem uma maluquice, com a resposta.
Eu usava esse livro para tentar mostrar o formato de 'formal letters' (cartas formais) em inglês sem matar os alunos de tédio, e era sempre legal.
3) Encontre um livro ambientado em sua cidade/estado/ país:
Lembrei de dois: Eramos seis, da Maria José Dupret, que descrevia os casarões da Consolação, e As meninas, da Lygia Fagundes Telles, com as universitárias que na minha cabeça são paulistanas.
4) Escolha um livro que se passe em um lugar que gostaria de conhecer:
Quero conhecer tantos lugares... mas agora só consigo lembrar dos livros que li sobre os que já conheci, porque claro, esses ficam memoráveis, né, a gente fica toda boba pensando, awn, que fofo, eu passei aqui!. Alguém me ajuda? Queria livros que acontecessem na Itália (só conheço Milão e Turim), França (só conheço Paris), Praga, tenho certeza que tem!, será que algum do Philip Pullman não foi ambientado lá?
5) Escolha a capa de um livro com sua cor favorita: 
Acho que minha cor favorita é verde, verde cor de grama, verde oliva, verde esmeralda.


6) Que livro você acha que é subestimado?
Vejo sempre as pessoas lendo Capitães de areia, do Jorge Amado, e nunca lendo Seara Vermelha ou Jubiabá, que eu amei. Foi o título que me veio à cabeça.

7) Qual livro te surpreendeu?
Neste momento me lembro dos últimos: de ter me surpreendido com o Police, do Jo Nesbo, porque achei que uma coisa tinha acontecido e era outra, e com A vida do livreiro AJ Fikry, porque honestamente não achei que fosse me apaixonar.
8) Que livro ainda não lido lhe trará a maior sensação de "missão cumprida"?
Tô pensando no Great expectations, (Grandes esperanças) do Dickens, ou no Persuasion, (Persuasão) da Jane Austen, que estão  na minha lista pra esse ano. Logo vou entrar nessas inevitáveis listas de clássicos que ainda não li e ficar em pânico pensando em quanta coisa tenho de ler ainda, tenho certeza.