Books read

Leticia's books

To Kill a Mockingbird
The Catcher in the Rye
The Great Gatsby
Of Mice and Men
Animal Farm
One Hundred Years of Solitude
Lord of the Flies
Romeo and Juliet
Little Women
A Tale of Two Cities
Frankenstein
The Count of Monte Cristo
The Secret Life of Bees
The Memory Keeper's Daughter
The Joy Luck Club
The Da Vinci Code
The Kite Runner
The Shining
The Silence of the Lambs
The Bourne Identity


Leticia's favorite books »

quarta-feira, 25 de junho de 2014

QQQ Quartas, www Wednesdays

Should be Reading (fonte)

To play along, just answer the following three (3) questions…
• What are you currently reading?
• What did you recently finish reading?
• What do you think you’ll read next?


basicamente, seria um Q Quartas, três perguntas com Q:


o Que você acabou de terminar de ler?
o Que você está lendo atualmente?
o Que você acha que lerá em seguida?


Vamos lá:
Acabei de ler Forgive me, Leonard Peacock, do Matthew Quick (link em português).  O autor é o cara do O lado bom da vida, lembra? É um livro sobre um menino adolescente que quer se suicidar com uma arma nazista herdada. Ou seja, claro que será triste, mais um daqueles momentos nos quais você pensa que alguns pais não deviam ser pais, que os adolescentes são realmente sofridos de forma autêntica e  triste, e que há muito mais atrás de cada tristeza do que parece. Assim mesmo, não me apaixonei. Eu já tinha lido outro livro dele e tive a mesma sensação, então essa foi sua última chance. Há muitos livros no mundo, não posso continuar gastando tempo com os mesmos 'meh'.
Li dois livrinhos tontos (freebies) chamados Connected by the sea e Tear, romances que não vão merecer uns parágrafos aqui. Se estiver loucamente interessado, acho que escrevi algo no goodreads.
Li Supreme Justice, do Max Alan Collins, veio como Kindle First. Interessante, um livro sobre assassinatos de juízes e presidentes conservadores do Supremo tribunal dos EUA, investigado por um ex membro de agência que usa métodos fora do comum chamado Joe Reeder (e cuja história, se mais investigada, tornaria o livro mais interessante). O autor escreveu Road to perdition, aquele que virou filme com o Tom Hanks, e foi interessante, mas nada além de três estrelas e nada que supere assassinatos ou crimes tipo Stieg Larsson, Henning Mankell, Karin Slaughter e afins.
Li Gabrielle Zevin, Memoirs of a teenage amnesiac, e cheguei à conclusão de que, embora eu a prefira como autora de livros para adultos, ela é ok escrevendo YA. O livro é sobre Naomi Porter, uma adolescente que cai de uma escada e tem apagados da memória os últimos 4 anos, durante os quais aconteceram várias coisas, do divórcio dos pais, nascimento da irmã, mudança de casa, ingresso num clube, namoro... e como ela, de maneira bem egoísta e às vezes desajeitada, tenta ir se readaptando.
Li Espero alguém, do Fabrício Carpinejar, um cronista portoalegrense. O sujeito ganhou um montão de prêmios literários, então estava esperando algo muito legal. Foi só legal. Algumas crônicas bem interessantes (gostei de uma na qual ele fala sobre o uso do banheiro para homens e mulheres, outra na qual ele fala da família...), outras nem tanto. Pra ler na praia, sem prestar muita atenção.



Estou lendo...  El juego de Ripper, bem devagarinho, pra não acabar logo, e Dear life, da Alice Munro (primeiro livro que leio dela).


Lerei em seguida... Estava pensando em brincar de Cassandra Clare, ouvi dizer que aquela coleção nova, Shadowhunt alguma coisa, pode ser divertida...


Nenhum comentário:

Postar um comentário