Books read

Leticia's books

To Kill a Mockingbird
The Catcher in the Rye
The Great Gatsby
Of Mice and Men
Animal Farm
One Hundred Years of Solitude
Lord of the Flies
Romeo and Juliet
Little Women
A Tale of Two Cities
Frankenstein
The Count of Monte Cristo
The Secret Life of Bees
The Memory Keeper's Daughter
The Joy Luck Club
The Da Vinci Code
The Kite Runner
The Shining
The Silence of the Lambs
The Bourne Identity


Leticia's favorite books »

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

A Letícia lê - semana 1 - Nos estandes - After, Anna Todd

O que eu li essa semana, começando com Nos estandes - uma semana por mês eu falarei de algum livro que me chamou a atenção por estar em exposição nas livrarias e eu li:

Nos estandes:
fui atraída pelo After, da Anna Todd. Um YA, parecia simpático, (gosto das palavras YA, romance, fanfiction) e resolvi procurá-lo no kindle em vez de comprar na livraria. Aí descobri que ele tinha toda uma história: havia sido publicado gratuitamente no watpadd, por uma universitária, baseada nos sujeitos do One direction. A tristeza começou aí. (um pouco por vergonha alheia, na verdade). Enfim, resumindo, são quatro livros, três dá pra achar entre kindle e watpadd e o último ainda será lançado. Eles cobrem dois universitários, o Hardin (que originalmente era Harry, da banda) e a Tess. Tinha partes se referindo ao Morro dos ventos uivantes (claro, tantos romances estão usando isso agora loucamente), e é meio sexy demais pra um YA, além do fato de esse menino ser muuuito Garoto Enxaqueca pro meu gosto. (referência aqui, pra quem não sabe do que eu estou falando.) Mesmo se fosse só Heathcliff, vocês sabem qual minha opinião sobre o drama excessivo, abuso exacerbado e falta de educação generalizada entre o casal, né? Mas não é.
Enfim, a Tess é meio puritana, e claro, se apaixona pelo Hardin, o bad boy da história. Até aí, mais ou menos sete milhões de livros foram escritos sobre isso. Só que rola uma coisa meio doentia e mal educada, e o primeiro livro termina de modo definitivamente vergonha alheia. Para ambos. Para ela, porque ela já disse tantas vezes "eu não falo mais com você, você quer me arruinar, não posso viver com você nem sem você, te odeio", etc, que quando ela realmente quer dizer isso, ninguém tá nem aí. E para ele, porque realmente, realmente ele passou todos os limites da falta de noção.

Aí começa o segundo livro. Mais do mesmo, com o adicional das pessoas à volta dos dois. Ou seja, não contente com transmitir a loucura psicótica adolescente do casal, a autora decidiu que todo mundo havia contribuído para que isso acontecesse. De um certo modo, é justo. Porque a família dele não é normal, embora finja. A dela, Jesus. (e piora no terceiro livro). Os amigos fazem com que o nosso jardim de infância pareça um grupo de mestrado. De verdade, chega a ser engraçado. SQN.
Como uma resenhista do Goodreads bem colocou:

description


E finalmente chegamos ao terceiro livro. Por que ele é ruim? porque tudo que aconteceu nos dois primeiros só é elevado à terceira potência. Eles são mais disfuncionais, os términos de relacionamento acontecem com mais frequência ainda (e são ainda menos críveis conforme o tempo passa), acrescenta-se mais tragédia (porque claro, ela vai ficando mais mexicana), mas ela não faz nada pela história. E aí, no fim, chega um momento daqueles doces, que faz o leitor se lembrar do porquê tanta gente continuou lendo (o maluco psicótico adolescente sabe ser bem fofo, quando não está se jogando no chão gritando)...
SPOILER. ALERTA VERMELHO. SE VOCÊ VAI LER E NÃO QUER SABER O FIM, PARE AQUI.

ESTOU AVISANDO.

... e não, eles ainda não ficam juntos nesse momento. Literalmente, a página termina com ela indo correr em direção a ele, toda derretida com o que havia começado por ser algo terrível que ele tinha feito (estou tentando manter os spoilers no mínimo aqui) e terminou sendo fofo. E aí, na página seguinte, você lê e descobre que eles ficaram separados anos...
e piora! Durante esses anos, subitamente os dois se tornaram pessoas maduras, normais, deixaram de gritar, beber, se drogar, chorar a cada cinco minutos, qualquer comportamento destrutivo. Tipo,

undefined

Pois é. Eu sou bem fã de YA, mas me recuso a reconhecer essa série como tal. Era tipo erotica para universitários. E deprimidos. Ou maníacos. Enfim, gente que busca automedicação. Há realmente momentos fofos, reconheço. Sou a primeira a dizer que amo heróis meio malucos. Mas tudo tem limite.

3 comentários:

  1. Sempre rio das suas resenhas, mas desta vez ri muito e tenho certeza de que não vou querer ler.

    ResponderExcluir
  2. estou querendo ler esse livro, mais não sou muito fã de fanfaction, ainda mais com o One Direction, trauma de uma no wattpad.
    Adorei o GIF da Ilhama, hehe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. tFranciele, obrigada pela visita! o q vc tinha lido no wattpadd? acredita que eu nem conhecia?
      pode acreditar em mim, a lhama traduz bem o conceito do livro.... ;)

      Excluir