Books read

Leticia's books

To Kill a Mockingbird
The Catcher in the Rye
The Great Gatsby
Of Mice and Men
Animal Farm
One Hundred Years of Solitude
Lord of the Flies
Romeo and Juliet
Little Women
A Tale of Two Cities
Frankenstein
The Count of Monte Cristo
The Secret Life of Bees
The Memory Keeper's Daughter
The Joy Luck Club
The Da Vinci Code
The Kite Runner
The Shining
The Silence of the Lambs
The Bourne Identity


Leticia's favorite books »

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Andanças

Achei melhor entrar com o Andanças agora, porque a peça por exemplo está na última semana...

fomos ao teatro ver Medida por medida, no SESC Vila Mariana. Há alguns atores mais conhecidos, como Thiago Lacerda, Giulia Gam, mas vou ser honesta e dizer que há outros desconhecidos que roubam a cena completamente. É uma comédia ótima, e boa pra sacudir a gente da coisa hollywoodiana de explodir carros e o cenário ser mais relevante do que o cara no canto do palco. Em cartaz até 31/01.



Fomos também ver o filme O novíssimo testamento, que acabou de estrear. Embora o trailer tenha sido mais engraçado que o filme em si, que acaba sendo mais reflexivo e mórbido, valeu ter ido - e valeu a pergunta: O que você faria diferente se soubesse EXATAMENTE quanto tempo de vida te resta? E afinal, quem pode te dar essa certeza?


A Letícia lê

Oie!

E aí na última quinzena (gosto dessa medida de tempo, que os ingleses usam com tanta naturalidade como fortnight...), eu li:

(lista do Goodreads aqui)

  • Reli o clássico Ratos e homens, do prolífico californiano John Steinbeck. Eu detesto descrição, e esse é um sujeito que faz isso muito bem. Você consegue 'ver' Lennie, e George, e Crooks, e Candy, e o cachorro, e o batom da mulher de Curley. Também não gosto dos regionalismos, mas eles fazem sentido na linguagem expressa por esses personagens. George e Lennie, que eu releio de cinco em cinco anos, sempre tem coisas pra me dizer. Nunca vou deixar de me sentir com o coração apertado pelos dois, e não só no fim, mas desde o começo. Acho esse livro realmente incrível.
dmbrdy
  • oito Harlequins que não valem muita menção;
  • Grey, da EL James, que foi uma grande decepção. Na verdade, não é que eu esperava grande coisa, mas adoro um heroi torturado, então pelo menos isso eu achava que seria uma novidade. Mas a quantidade de cenas repetitivas é ridícula, e o livro é completamente centrado no primeiro volume, o Cinquenta tons de cinza, nem entra nos outros. Ou seja, desperdício de tempo, que afinal é a única coisa importante da vida.
  • Dois chick lits bem fofinhos: Living dangerously, da Katie Fforde, e Millie's fling, da Jill Mansell. Não me lembro das traduções pro português, mas são autoras que valem pra quem busca esse gênero meio Bridget Jones, delicinha de ler com um vinho ao lado.
  • um contemporâneo chamado Difamação, da Renee Knight. Não sabia o que esperar desse livro, que é basicamente uma surpresa do começo ao fim. Dá a entender que a protagonista, Catherine, recebe um livro que conta sua própria história, que nao revelou a ninguém. Mas esse é só o começo... acho que vale a recomendação pra você descobrir por si só se vai curtir
  • Outro contemporâneo, embora de época (parece dicotômico, eu sei: mas é que foi escrito nessa década, contando sobre a guerra, e não gosto do nome romance de guerra): Uma praça em Antuérpia, de Luise Valente. Meu chefe me recomendou, e ele lê muito não ficção, então fiquei duplamente curiosa. Valeu cada minuto da história dessas gêmeas, numa trajetória linda, emocionante, cheia de reviravoltas.
  • Um YA, Para todos os garotos que já amei, da Jenny Han. Uma mistura de Dez coisas que eu odeio em você + Mulherzinhas versão oriental. Não tenho certeza de ter gostado, nem de não ter. Foi ok. 
  • A antologia de frases venenosas chamada Mau humor, do Ruy Castro. 


segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

A Letícia lê

Além dos três livros que eu li na primeira semana do ano, de folga, terminei o Dupla falta, da Lionel Shriver;
gosto muito dela, desde o Precisamos falar sobre Kevin - e AMEI o So much for that. Alguns outros eu não gostei, verdade. E esse ficou no limbo. Bem escrito, e tenso, cru, fala sobre um casal de tenistas jovem; Willy tem 19 anos quando conhece o outro tenista que se tornará seu marido, e o primeiro cheiro de conflito vem do fato de que ela treina desde os 5 anos e quer subir no ranking, enquanto ele começou a praticar aos 18 anos e vê o tênis como algo que é parte de sua vida, e não toda ela.
À medida que o romance progride, essas tensões competitivas e de personalidades distintas vão vindo à tona das piores maneiras, e você não consegue evitar se solidarizar com ambas as partes, mesmo que, no meu caso, não entenda nada do esporte nem da ambição relacionada a ele.

Aí, Sagarana não me entusiasmou do começo, e querendo ler um clássico, fui pra Madame Bovary. Eu só me lembrava que havia uma traição. O que eu vi:
Charles Bovary se tornou médico quase por acidente, e é um ser medíocre desde o começo do seu retrato, placido e sem culpa nem mérito. Emma, portanto, parece para mim representar na vida dele algo novo, brilhante, lindo, jovem. Ela, por outro lado, é seduzida... por tudo. O primeiro baile que frequenta fica na sua cabeça meses, o primeiro homem que dança com ela, o próximo que flerta com ela, finalmente o que tem coragem de dar o primeiro passo... ela é 'facinha, facinha'. Rasa como uma tábua, me irritou tanto e com tanta frequência que eu lutei um pouco com o impulso de desistir do livro. Endivida a família inteira dando presentes pros amantes e enfeitando a casa, e isso, junto com o fato de que há vários personagens tão horríveis quanto ela, inclusive um vendedor/agiota/desgraçado que arruína a família com chantagens mil e bom, com o conhecimento das fraquezas morais que eles tem.
O fim é surpreendente, no sentido de que depois que você acha que acabou ainda tem mais uns capítulos deprimentes. Honestamente? a questão é que o romance é bem escrito e bem contado, mas os personagens são tão moralmente fracos, unilaterais, egoístas, que a depressão vai te esfriando os ossos até você não querer mais ler o livro. (Você, no caso, sendo eu rs).


Aí li A noiva fantasma, meu primeiro livro do desafio no grupo 'autores internacionais', com uma autora descendente de malaios que vive na California e conta a história de Li Lan, que em 1893 é prometida a um primogênito morto... sim, aparentemente essa prática, que foi proibida no final do século XIX, ainda resiste em alguns lugares da China e Malaia, especialmente em famílias tradicionais e abastadas. Dá pra imaginar? A mitologia toda (as oferendas para os mortos, o fato de que eles só conseguem viver do que lhes foi ofertado pelos antepassados, o arroz) é muito simbólica e me deu arrepios. Foi interessante até o fim, e o desfecho foi de fato distinto do esperado. Gostei bastante! A propósito: foi um livro recomendado na Oprah rsrs!

sábado, 9 de janeiro de 2016

Andanças

Como não publiquei o Andanças dia 01, vou fazer isso hoje e falar dos três filmes que vimos no cinema recentemente:

Macbeth: fotografia impecável. O filme é conceitual, lindo. Mas gente, me senti meio burrinha, porque é em linguagem antiga, claro, tanto em inglês quanto em português, e fica difícil de segui-la, mesmo que a gente saiba a história. Além de, obviamente, ser um recorte da peça toda.

Os oito odiados, do Tarantino. Podem me julgar. Eu vi o trailer, e achei que fosse ser algo meio O caso dos dez negrinhos, sabe? com o conflito de Quem está fazendo o que e ferrando quem? sendo o principal. Mas embora isso aconteça uns 25% do filme, o resto é bem Tarantino: muito, muito, muito sangue, muita gente apanhando e sofrendo, a personagem feminina sendo vítima de todos os homens à sua volta, e terminando meio que por falta de personagens. Eu sei que existe um apelo pra milhões de fãs, mas não sou uma delas. Lembrete para mim mesma: não assistir Tarantino de novo.

O capital humano. Esse eu realmente gostei. É um filme franco italiano contado sob três perspectivas, e embora seja repleto de clichês (o rico insuportável, a mulher do rico entediada, o cara-que-quer-ser-rico-e-é-inconveniente, o menino problemático, etc), a história é bem contada, bem amarrada, interessante. Valeu muito.


Aproveito pra recomendar duas coisas da Netflix: uma série de crime britânica chamada Luther (assistimos em três dias, adorei) e uma que começamos recentemente chamada Suits e parece muito promissora <3

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

6on6 - dezembro!

Puxa, e já é dia de Reis! Minha mãe sempre disse que 6 de janeiro pra ela era mais importante que o Natal, porque é quando os Reyes Magos traziam os regalos...
Vamos ver o que aconteceu por aqui na minha vida desde 6 de dezembro...

show do David Gilmour, minha gente! Adoramos o Allianz Parque, adoramos onde ficamos, bem pertinho do palco, e não tinha como não adorar o show. Foi o presente de Natal que eu dei pro D.


Completei, aos 45' do segundo tempo, o desafio do Goodreads, lendo 250 livros esse ano. Na verdade, como tive uma semana de folga, viraram 260, mas a meta foi cumprida aqui:


MInha amiga linda vai se casar e ir pra Alemanha. Nos contou aqui, logo depois de nos oferecer essa mesa megacaprichada:




Ganhei esse terrário lindo e essa caricatura, ambas feitas pela amiga fofa do Rio:



Fui azaradinha e fiquei bem doentinha uma semana inteira em dezembro!



E agora, a notícia que eu não queria dar: Jamie, que vocês já conhecem, porque nunca vi gata mais fotogênica e plácida, estava com suspeita de um tumor no intestino, e foi fazer uma biópsia. A maior judiação do mundo. E aí, embora tenha saído supostamente bem da cirurgia, em dois dias parou de comer, e qdo, no feriado, levamos ao hospital veterinário, eles ficaram tão preocupados qto nós. Ela virou estrela no último dia do ano, às 3 da manhã, no hospital. Nos doeu e doi horrores: ela viveu 10 anos conosco, era pra ter sido 20. Muito errado que os bichinhos fiquem doentes. Ainda estou andando pela casa e esperando que ela surja afiando as unhas no banquinho que era todo dela, ou comendo vinte vezes por dia.



Espero que 2016 traga montes de alegria e esperança pra todos nós.

domingo, 3 de janeiro de 2016

A Leticia lê - os autores que eu mais li

Curiosamente, o goodreads tem sua própria opinião sobre meus autores favoritos; eu diria que é Lygia Fagundes Telles, e aí citaria o Coe, Auster, Sophie Kinsella, Saramago. Mas olha só:
E os seus?


authorbooks read
1296961Paul Auster22
26160Sophie Kinsella15
319916Jonathan Coe10
41077326J.K. Rowling8
43389Stephen King8
64273Roald Dahl7
67848006Deborah Bladon7
8150038Cassandra Clare6
81069006C.S. Lewis6
848192Gena Showalter6
8322069Liane Moriarty6
84637539Tahereh Mafi6
13153394Suzanne Collins5
134208569Rainbow Rowell5
1317061Charlaine Harris5
136576110Jodi Ellen Malpas5
1322339Henning Mankell5
1324759Luis Fernando Verissimo5
1319823Sylvia Day5
133618Philip Pullman5
132238Isabel Allende5
136104Marian Keyes5
132929Nick Hornby5
1336746Lemony Snicket5
253273473Paula Pimenta4
2545922Lionel Shriver4
2593504Lisa Jewell4
25348878James Dashner4
25375143Larissa Ione4
256630Rosa Montero4
253190846Laurann Dohner4
252987125Kiera Cass4
252854932Matthew Dicks4
254039811Veronica Roth4
253090Helen Fielding4
251434873Jane Costello4
2511654Meg Cabot4
255430144Colleen Hoover4
2520248J.R. Ward4
25137902Richelle Mead4
254342215Marie Lu4
257184788Blue Ashcroft4
2564364Jacquelyn Frank4
25941441Stephenie Meyer4
25750718Megan Maxwell4
461251730Matthew Quick3
4613450Gabriel Garcí­a Márquez3
461285555José Saramago3
469212Jennifer Weiner3
461792350Anna Carey3
463486415Amanda Hocking3
46383606Robert Galbraith3
464428Kresley Cole3
463927354Anna Todd3
463706George Orwell3
4649680Mia Couto3
4652683Jorge Amado3
464027380Joelle Charbonneau3
464637369Veronica Rossi3
464725841E.L. James3
466552875Jax Garren3
4686097Katie Fforde3
46163027Karin Fossum3
462383Gillian Flynn3
466563633Rebecca Ethington3
461439Malcolm Gladwell3
461265Jane Austen3
6886098Clarice Lispector2
68177148Lygia Fagundes Telles2
68239579Charles Dickens2
6871438Joyce Maynard2
6861788Marc Levy2
6861105Dr. Seuss2
6840593Gabrielle Zevin2
68381268Marcelo Rubens Paiva2
6838706Italo Svevo2
68431149Truman Capote2
68498072Audrey Niffenegger2
6836667Vikas Swarup2
68819789J.D. Salinger2
68832040Daniel Glattauer2
68904719Jo Nesbø2
6819564Neal Shusterman2
6815907Tom Perrotta2
6815872Rick Riordan2
6813778Bill Watterson2
6812915Jane Green2
6811466Markus Zusak2
681481119J.D. Hawkins2
688719Donna Tartt2
682091485Inês Pedrosa2
682777016J.S. Scott2
688164Lewis Carroll2
687195John Boyne2
687128Jodi Picoult2
683246397Jean Kwok2
686343Milan Kundera2
684785Alexandre Dumas2
684280Kazuo Ishiguro2
683670Jhumpa Lahiri2