Books read

Leticia's books

To Kill a Mockingbird
The Catcher in the Rye
The Great Gatsby
Of Mice and Men
Animal Farm
One Hundred Years of Solitude
Lord of the Flies
Romeo and Juliet
Little Women
A Tale of Two Cities
Frankenstein
The Count of Monte Cristo
The Secret Life of Bees
The Memory Keeper's Daughter
The Joy Luck Club
The Da Vinci Code
The Kite Runner
The Shining
The Silence of the Lambs
The Bourne Identity


Leticia's favorite books »

segunda-feira, 31 de julho de 2017

2a.quinzena de julho - aleticiale2017

I've read/Li...

Cem anos de solidão, Gabriel Garcia Márquez - O tal realismo fantástico te leva na vida de Aureliano e Arcadio (os quatro, cinco? perdi a conta logo) e te enreda. Muito, muito bem escrito. Mas me cansou ter que entender de qual deles eu estava falando, porque em tantos momentos eles tinham como interlocutores as mesmas pessoas, né? a Matriarca durou as quatro gerações, e eu queria me divertir com a prosa tão bem escrita e não pensar no que tinha acontecido com o Segundo ou Arcadio ou José ou... enfim. Que livro, assim mesmo.

Persépolis, HQ da Marjane Satrapi - Muito bem construído e desenhado. Mentira se eu disser que sei mais da história que eu sabia, embora seja chocante saber que o islamismo entrou assim tão de sopetão num lugar que já foi tão "ocidental". Mas foi interessante ler.

Contos escolhidos, Machado de Assis - Honestamente, não gostei de tudo. Um pouco porque a seleção é sempre muito peculiar, né? e um pouco porque talvez eu não tenha entendido todos. Hoje sei que saber um pouco sobre a vida da pessoa faz diferença para entender o contexto que ela escolheu. Mas alguns dos contos, como A igreja do Diabo, ou A cartomante, ou Teoria do Medalhão, ou o sobre Luiz Timóteo... fazem com que você pense que somente aquilo bastava para explicar conceitos como analfabetismo funcional, ironia, pontuação, literatura e vários outros. Mesmo com a edição, porque dizem que ele tinha um apreço um pouco exacerbado por pontos e vírgula, por exemplo. Que sujeito sensacional.

é isso que faz a leitura, não é? <3

Amor de Capitu, Fernando Sabino - Não achei que mudou minha vida nem minha visão de Dom Casmurro. Claro, acho que não esperava que o fizesse. Mas a proposta de reescrever com outra perspectiva é ambiciosa o suficiente pra vc achar que ele trouxe algo novo, e sequer identifiquei o que seria novo assim.

Asking for trouble, Elizabeth Young - Here is what I call a classical, well written chick lit. Old fashioned in its story and plot, in the characters and all, but fun, light, interesting.

sábado, 15 de julho de 2017

1a. quinzena de julho - aleticiale2017

Li/I've read...

Acho que não falei do A cidade sitiada, da Clarice Lispector também, que terminei na noitinha do último dia de junho.
Era um romance sobre uma moça chamada Lucrecia, buscando amor, sua vida e as trocas que fez no decorrer dela. Falava dos primeiros amores, sua vida no interior, e de como, ao escolher um companheiro (Mateus) e a cidade, perdeu a riqueza (do) interior para sempre. Não amei, mas acho que tem a ver com momento de vida e de leitura. Talvez seja um desses livros que vc tem de ler com o espírito pronto pra ele (como O conto da aia, O velho e o mar, The wave).

Estrela da vida inteira (Poesia completa), Manuel Bandeira.
Acho que estou lendo poesia meio errado: deveria ser em formato de pílulas, uma poesia por dia, e não como livro, porque vc começa a tentar racionalizar o que vem do coração. Esse livro é a coleção de obras do Bandeira, e me vi pesquisando sobre sua vida porque achei que havia muita poesia sobre temas escuros - depressão, tristeza, morte - quando imagino que tenha sido simplesmente porque faz parte da vida. Há muita doçura e muito retrato da vida dele também, desde poemas dedicados à amigos (Drummond, Murilo Marques, etc) ou à cidades (Juiz de Fora, Rio, o sul), à épocas (Carnaval, que na década de 30 era "o evento", tem pedaços inteiros de obra). E ele me pareceu muito completo, no sentido de que há poesia concreta, há rimas de diversos tipos, há traduções de poemas de línguas diferentes, há um caminhar no idioma que valida o trabalho com muito carinho. Nem preciso dizer que vale a pena ler, porque é preciso conhecer o trabalho tão belo de escritores brasileiros como esse.

A sereníssima república e outros contos, Machado de Assis.
Essa pequena coletânea de contos machadianos já valeria para entender quão maior ele era do que Capitu ou Quincas Borba, mas ler Os santos - um conto no qual se vê alguns santos numa igreja conversando sobre os fieis que ouviram durante o dia e a realidade do que havia dentro de suas orações - já vale a leitura. Sensacional.

Essays in love, Alain de Bottom.
Now he's become famous for The school of life, but over a decade ago he was (just) solely a writer. This book narrates the finding and ending of a love story, and it's like watching a movie, of course. Or spying through a window, only with the occasional glimpse into the motivation of the neighbor we're spying. Sad, happy, true, with alternate narrative (dialogue and inner voice), very interesting.

quarta-feira, 12 de julho de 2017

andanças - top 5

Decidi retomar um hábito antigo e querido que adquiri quando li Alta fidelidade, do Nick Hornby, e assisti A vida é cheia de som e fúria, a peça da Sutil companhia de teatro, que trazia listas de coisas queridas. Há mais de dez anos, fiz uma volta de e-mails com amigos no qual trocávamos listas de lugares, músicas, filmes, razões para amar as pessoas... e revisitei há alguns dias. Foi uma experiência intensa e divertida, com filmes dos quais eu nem lembrava mais, razões ótimas para gostar de pessoas que ainda estão na minha vida (e algumas que não estão mais) e muitos lugares e músicas e filmes para acrescentar.
Então, sem mais delongas...

top 5 lugares

1. Verona, na Itália. Uma grata surpresa, uma cidade linda, deliciosa, poética.
2. Milão, na Itália. Embora eu não goste de ir ao mesmo lugar duas vezes, fiz questão de voltar à Milão e levar D., porque queria que ele visse o Duomo, comesse o panzerotti do Luini, tomasse o gelato de ciocolatti italiani, visse o Castello Sforzesco e a Galeria. Amei tanto aquela cidade!
Na verdade, a Itália toda. Amei Cinque Terre, Florença foi sensacional, Veneza é absurda, Turim é uma delícia, Roma nem se fala... puxa.
3. Copenhagen, na Dinamarca. Outra gratíssima surpresa. Que lugar gostoso, limpo, interessante, fácil, bonito. E o castelo Kronborg, em Helsingor, é de matar de amor.
4. o sul do Brasil (Canela, Gramado, Bento Gonçalves), com lugares lindos, gente simpática, comida deliciosa, generosidade de tudo.
5. Barcelona, na Espanha. Aquele mar, Gaudí, aquele clima. Suspiro.


top 5 restaurantes

1. Modi Gastronomia. Acho que o de Higienópolis, por enquanto.
2. Jamile, na 13 de maio. O do Fogaça, sabe? tinha pouca fé, mas fomos umas três vezes e foram experiências quase divinas.
3. Mestiço, que há vinte anos me presenteia com meu prato favorito: kratong thong seguido de Asia. Com Mojito muito honesto e um sorvete de coco, laranja e gengibre que é o fim perfeito.
4. Pilico e Bia, uma portinha na qual ainda tem o melhor camarão à provençal que eu já comi.
5. Osteria del Petirrosso e Mocotó empatam aqui. Vou ter que visitar os dois de novo pra desempatar.

top 5 filmes

1. A família Belier
2. Novíssimo testamento
3. O fabuloso destino de Amelie Poulain
4. Um conto chinês
5. vou ser criancinha e dizer que vários que eu assisti mil vezes: Toy Story, Monsters, Finding Nemo, De volta pro futuro, Curtindo a vida adoidado estão nessa categoria. Me processem.

Putz, super me empolguei. Novas categorias virão em breve. Parece aqueles caderninhos de enquete, sabe?

quinta-feira, 6 de julho de 2017

6on6 junho!

Sexy sem ser vulgar: Prue dando banho no Panzerotti, o gato mais mimado dessa casa.

Rolinhos de canela (receita da Rita Lobo, claro), chocolate quente com chantilly - a vida é boa ou não?

Ganhei flores, e só. Amor <3


Minha segunda moqueca teve tanta pimenta que lá pela 4a. garfada era só o que você sentia. Mas a culpa era só minha (a receita da Rita Lobo, moqueca leve, não tinha quase nenhuma), que resolvi colocar todas as que tinha em casa. Ainda bem que a gente gosta de comida apimentada :P


Churros que meu Pepito fez no aniversário do meu irmão. Que vontade!


#andanças: muito europeia essa entrada do Le pain quotidien, né? delícia de lugar e amo demais o chocolate quente deles.