Books read

Leticia's books

To Kill a Mockingbird
The Catcher in the Rye
The Great Gatsby
Of Mice and Men
Animal Farm
One Hundred Years of Solitude
Lord of the Flies
Romeo and Juliet
Little Women
A Tale of Two Cities
Frankenstein
The Count of Monte Cristo
The Secret Life of Bees
The Memory Keeper's Daughter
The Joy Luck Club
The Da Vinci Code
The Kite Runner
The Shining
The Silence of the Lambs
The Bourne Identity


Leticia's favorite books »
Mostrando postagens com marcador Sensatas Segundas. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Sensatas Segundas. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Musing Mondays, (in) Sensatas segundas

Resolvi rebatizar o Musing Mondays pela aliteração Sensatas Segundas. Aí, ponderei, vocês vão concordar que com razão, que baseada nas últimas segundas, não dava pra garantir muita sensatez, e acrescentei o prefixo para garantir a credibilidade... Ele vem, originalmente, do blog Should be reading, e pode ser sobre qualquer coisa relacionada a livros...


Esse é o último Musing Mondays do ano... e provavelmente o último ever. Então, vou fazer a transição pro que ele vai virar (uma lista semanal de coisas que me derem na telha) e falar dos 10 títulos que, olhando pra lista linda do Goodreads que publiquei semana passada de livros que li nesse ano, achei que são os melhores que li em 2014: (não estão em ordem nenhuma, tá? não me pressione!)

1. Fique onde está e então corra, do John Boyne - um dos livros que tem a fórmula que tantos usam (crianças e guerra) e ainda assim, me pareceu fresco, doce, com a dose não hollywoodiana de apelação.
2. The storied life of AJ Fikry, Gabrielle Zevin - Estou colocando o link em inglês porque me disseram que a edição em português está muito ruim, e a Tati (Feltrin) para quem eu dei o livro toda animada, me confirmou. Assim, se você for comprar em português, folheie e veja se é uma segunda edição, quem sabe. Eu li no kindle, em inglês, e ele entrou para sempre na lista dos meus favoritos. É uma história sobre um livreiro, o que por si só já teria me seduzido, mas além de tudo tem criança, tem livros, tem amor.
3. O bicho da seda e O chamado do cuco, Robert Gailbraith - Eu fui levada ao livro por ser JK Rowling, de quem sou fã incondicional por achá-la uma fantástica contadora de histórias. (Não chego a ser do tipo que leu aquelas coisas sobre Quadribol, contos do bardo, etc, mas li Morte súbita e todos os Harry Potters e amei do começo ao fim) Mas de verdade, achei um livro muito bem escrito, muito bem construído, humano, embora versando sobre um crime e mistério, com personagens muito interessantes e por quem a gente torce, o que é uma coisa bem dela e bem rara em livros de mistério (muitos dos livros de mistério dos quais eu não gosto tanto são os que, uma vez o crime resolvido, eu já me esqueci.)
4. Claros sinais de loucura, Karen Harrington - Você tem 12 anos muito especiais se se identifica com Sarah. Eu tive.
5. Mr. Peanut, Adam Ross - escrevi sobre esse livro umas semanas atrás. David tem uma relação muito maluca com a mulher, e é um livro forte, como os da Lionel Shriver. Demorei muito para engrenar nele, deixando pra depois porque a capa, ou a sinopse, não me tinham agarrado. Mas uma vez que comecei... me pegou por inteiro. Muito, muito bom. Ah, não li em inglês, apesar desse título. Está traduzido, e muito bem, por sinal, numa edição da Companhia das letras, se não me engano.
6. Labor day, Joyce Maynard - me recuso a conectar com o filme, embora ele tenha sido com a Kate Winslet de quem eu gosto muito. O livro é tão, tão legal. Adele é uma mãe solteira que acaba levando um criminoso para casa num longo fim de semana. Parte suspense e parte romance, mas tão bem contado, com sutilezas e fofuras nos lugares certos. Depois descobri que a autora é até meio famosa, tem vários outros livros publicados, viveu um ano com JD Salinger, enfim, tem uma vida que pode significar mais livros como esse.
7. As cem melhores crônicas brasileiras - vale a pena ler, ter e divulgar.
8. Elizabeth is missing, Emma Healey - Um retrato lindo de amizade, de família, de tolerância, e do envelhecer. Chorei, ri, e foi muito além do que achei que iria.
9. A coleção da Karin Slaughter, melhor escritora de mistério que descobri nesse ano, com o personagem investigador mais fofo, o Will.
10. Americanah, da autora cujo nome eu tenho dificuldade em escrever. Ifemelu é forte, interessante, inteligente, e vai te fazer questionar coisas, pensar em outras, discordar de terceiras, mas sobretudo, querer saber de várias. Recomendo loucamente.

domingo, 28 de dezembro de 2014

Feliz ano novo, feliz blog mais ou menos novo!!!



Ai gente tô tão empolgada!!! Acho que já decidi o que vou fazer em 2015. Comecei muito bem (na verdade eu sou fantástica no mundo das ideias, rs, mas como quero que tudo aconteça, fica um pouco difícil colocá-las no papel...), e talvez algo ainda mude, mas é assim:

O post Aventuras gastronômicas será mais abrangente (o nome que eu pensei até agora foi Andanças, eu tinha até uma música na cabeça, veja bem) e poderá incluir vida cultural em geral, assim posso falar do que tenha visto, ouvido, assistido, e ache que seja interessante dividir. Provavelmente acontecerá nos primeiros dias do mês mesmo, até porque se for algo de cinema, teatro, exposições, etc, tem prazo para sair, né?

No lugar do (in) sensatas segundas, entra algo que estou chamando de Top 5. Amo listas, acho que já disse mil vezes. Às vezes elas versarão sobre livros, às vezes sobre livrarias, às vezes sobre livros novos pra ler, mas podem passar por painéis no pinterest, sites que tenha descoberto, autores que estão esquecidos, enfim, qualquer coisa, né? Às segundas, começando a semana :)

O que estou lendo, obviamente, continua. Não se chamará mais WWW Wednesdays (sempre fico muito desconfortável por ter 'emprestado' o nome do site Should be reading, mesmo que dê o crédito); a verdade é que eu sempre falo do que li, bem pouco do que estou lendo e lerei em seguida, então acho que tudo bem, né rs! Creio que vou chamá-lo de A Letícia lê. (self centered much? gosto da aliteração, sugestões são benvindas) Provavelmente ainda às 4as.

O Timely classic, clássico do momento, continua e provavelmente fica na última semana do mês, dentro do post acima. As outras semanas terão outras coisas:
Vale a pena ler de novo (será que alguém da nova geração entende a piadinha com as novelas da tarde, rs?), falando de livros que resolvi reler, porque essa semana me vi olhando um Paul Auster, que é um dos meus autores favoritos, e sem lembrar da história;
um temático (oi Silvia!), tipo, livros de crime, drama, mistério, não ficção, etc, por uma semana (o máximo que consigo me comprometer por enquanto, rs)
e um que estou chamando de Nos estandes, no qual eu leio algum livro que está em exposição nas livrarias (como descobri um que estou lendo essa semana).

Também quero fazer uma imagem da semana, porque há várias muito fofas, talvez na 6a., e pensei em dividir uma citação (tenho cadernos cheios) uma vez por semana, talvez no domingo, e chamá-la de Pequena alegria da semana. (no lugar da Teaser Tuesday)

O Blog vida Organizada, que eu amo, fez um post lindo, muito visualmente organizado sobre como fazer tudo isso aqui ficar bonito. Assim que eu fizer isso, talvez algo entre, algo saia, algo seja percebido como redundante ou tolo. Talvez eu perceba que sou redundante e tola. Talvez eu perceba que tô nem aí, rs. Enfim, por enquanto são ideias, mas que já passaram um pouco mais pro campo do possível. É um projeto.



segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Musing Mondays, (in) sensatas segundas

Resolvi rebatizar o Musing Mondays pela aliteração Sensatas Segundas. Aí, ponderei, vocês vão concordar que com razão, que baseada nas últimas segundas, não dava pra garantir muita sensatez, e acrescentei o prefixo para garantir a credibilidade... Ele vem, originalmente, do blog Should be reading, e pode ser sobre qualquer coisa relacionada a livros...

Estudos mostram que ler reduz estresse em 68%...
mais que ouvir música, caminhar, ou sentar-se com uma xícara de chá.

(devem ser estudos ingleses :P)


Eu concordo em gênero, número e grau. Sou sempre muito feliz quando estou inteira em alguma coisa (por isso gostava tanto de dar aulas, gosto de nadar, e amo ler. Acho muito difícil fazer essas coisas enquanto estou pensando em outras).


O que reduz seu estresse?

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Musing Mondays, (In) Sensatas segundas

Resolvi rebatizar o Musing Mondays pela aliteração Sensatas Segundas. Aí, ponderei, vocês vão concordar que com razão, que baseada nas últimas segundas, não dava pra garantir muita sensatez, e acrescentei o prefixo para garantir a credibilidade... Ele vem, originalmente, do blog Should be reading, e pode ser sobre qualquer coisa relacionada a livros...

Uma das coisas que é mais deliciosa no universo é cheiro de livros. Acho que mesmo hoje em dia, que leio no ipad, no kindle e em livros físicos, isso ainda permanece. Mas quer saber o que realmente, realmente me enlouquece?

cheiro de livros + chuva lá fora + musiquinha de natal na livraria. Tenho vontade de ficar nas poltronas para sempre.

Outra coisa? essas capas de chick lit coloridas. Tipo as da Jill Mansell, sabe? Amo. Tenho vontade de pegar e ler todos. Esse fim de semana fui à Livraria Cultura com dois professores da escola na qual fui gerente, e comentei isso. Aí vira um deles rindo e diz: "É mesmo, vários livros da estante da biblioteca tinham essa carinha". Ooops...

Mais uma: saber que seu autor favorito está lançando um livro que você tinha até esquecido que seria lançado. Tipo a Sophie Kinsella, ou o Paul Auster, ou o Luis Fernando Veríssimo, ou a Rainbow Rowell. Alegria infinita. Esses que além de tudo são provavelmente fáceis e gostosos de ler, e você sabe que só te trarão prazer.

Outra: as entregas automáticas do Kindle, daqueles livros que você fez 'pre-order' (encomendou há um tempão, já pagou, esqueceu a respeito) e subitamente aparecem no kindle, na página de entrada, como se fossem um presente.

Ah, gente, não é por acaso que isso aqui tem o nome de "pequenas e grandes alegrias da vida", né...


P.S.: Eu ainda não cobri o assunto "nome do domínio": o endereço "livrosdosprazeres" veio do livro da Clarice, uma aprendizagem ou o livro dos prazeres, mas acabou meio deturpado, né, parece um pouco pornografia... e não queria usar meu sobrenome porque a vida inteira vou ter de soletrar. Letícia significa alegria, sabia? pensei em usar algo com alegria, que não esteja sendo usado e que tenha a ver com livros. Alguma outra ideia?

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Musing Mondays, (in) sensatas segundas

Resolvi rebatizar o Musing Mondays pela aliteração Sensatas Segundas. Aí, ponderei, vocês vão concordar que com razão, que baseada nas últimas segundas, não dava pra garantir muita sensatez, e acrescentei o prefixo para garantir a credibilidade... Ele vem, originalmente, do blog Should be reading, e pode ser sobre qualquer coisa relacionada a livros...

Então, hoje tô aqui dividindo minhas dúvidas.  Esse blog fará um ano em alguns dias, e já dá pra dizer que sim, ele fica por mais um tempo. Gosto de escrever, gosto de pensar em coisas pra escrever, gosto de ter de ler livros pra escrever sobre eles. Gosto das pessoas que passam por aqui (oi Maria, oi Silvia :)) sempre e das que passam de vez em quando (oi pra você também!). Gosto de saber que há tanta gente que é atraída pela possibilidade de dividir opiniões sobre livros e ganhar ideias novas sobre eles.

Estou começando a pensar em que mudanças gostaria de implementar para que ele fique mais legal, divertido, fácil de ver e de achar coisas, assim como pra mim. Por exemplo, sou uma criatura de hábitos: meio que 'preciso' dessa coisa de "segunda é dia de... terça é dia de..., uma vez por mês eu..." (sim, a terapeuta já está ciente). Mas os que eu tenho hoje eu roubei de blogs diversos num impulso, e acho que tem espaço pra mudança. (In) sensatas segundas, sobre qq coisa a respeito de livros, Temperinho da terça, um pedaço do que eu esteja lendo, QQQ Quartas, o que estou lendo, quinta é dia de ocasionais tags e fotos ou infográficos, dia 1 é dia de Aventuras gastronômicas e dia 20 de Clássico do mês.
Alguém aí tem alguma opinião sobre o que disso deve ficar ou ser eliminado? ou mudar de frequência ou de cara?

Outra coisa é que venho pensando em mudar o visual, colocar mais fotos, (legal?) ou até pensar em novo design. Opiniões?

Finalmente (por último mas não menos importante), quero um domínio. Mas esse é assunto pra outro post...

Enfim, palpites e sugestões são mais do que benvindos, são necessários. Tendo a me distrair com facilidade e perder o foco, rs...

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Musing Mondays, (in) Sensatas Segundas

Resolvi rebatizar o Musing Mondays pela aliteração Sensatas Segundas. Aí, ponderei, vocês vão concordar que com razão, que baseada nas últimas segundas, não dava pra garantir muita sensatez, e acrescentei o prefixo para garantir a credibilidade... Ele vem, originalmente, do blog Should be reading, e pode ser sobre qualquer coisa relacionada a livros...

Essa é a imagem da semana, a la Life magazine  :)


 Seize the Book.

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

tag literária, Musing Mondays, (In) Sensatas segundas

Resolvi rebatizar o Musing Mondays pela aliteração Sensatas Segundas. Aí, ponderei, vocês vão concordar que com razão, que baseada nas últimas segundas, não dava pra garantir muita sensatez, e acrescentei o prefixo para garantir a credibilidade... Ele vem, originalmente, do blog Should be reading, e pode ser sobre qualquer coisa relacionada a livros...

1. chá (de ervas); eu amo café, mas fico com vontade de escovar os dentes e termina logo. Chá demora mais.
2. aquela Pipoca de chocolate da Kopenhagen, porque não é enorme, e não meleca os dedos.
3. gato no colo (no caso, minhas três se esparramam, de acordo com a estação do ano)
4. barulho de passarinho e árvore por perto, ou barulho de água (mar, rio, fonte) <3
5. água, sempre (eu sou influenciável, é só não ter água por perto e começo a ter sede).

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Musing Mondays, (in) Sensatas Segundas

Resolvi rebatizar o Musing Mondays pela aliteração Sensatas Segundas. Aí, ponderei, vocês vão concordar que com razão, que baseada nas últimas segundas, não dava pra garantir muita sensatez, e acrescentei o prefixo para garantir a credibilidade... Ele vem, originalmente, do blog Should be reading, e pode ser sobre qualquer coisa relacionada a livros...


Essa lista é de autores com nacionalidades diversas: Orwell é indiano, Mansfield é neozelandesa, Jean Kwok é chinesa, Saramago é português, há alguns ingleses na lista... em comum, um talento absurdo para literatura brilhante. Livros únicos. De imaginar a rainha da Inglaterra como leitora (A leitora real, do Alan Bennett) ao primeiro romance da psicanálise (A consciência de Zeno), tem de tudo aqui :)


1. Girl in translation, Jean Kwok (em português aqui)
2. The namesake, Jumpha Lahiri (em português aqui)
3. The master and margarita, Bulgakov (em português aqui)
4. Todos os nomes, Saramago
5. The uncommon reader, Alan Bennet (em português aqui)
6. Corazón, Edmundo de Amicis
7. A pale view of hills, Kazuo Ishiguro
8. Someone like you, Roald Dahl (em português aqui)
9. Memórias de Adriano, Marguerite Yourcenar
10. Zeno's conscience, Italo Svevo (em português aqui)
11. The collected short stories of Katharine Mansfield (em português aqui)
12. 1984, George Orwell (em português aqui)
13. Brave new world, Aldous Huxley (em português aqui)


Books

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Musing Mondays, (in) Sensatas Segundas

Resolvi rebatizar o Musing Mondays pela aliteração Sensatas Segundas. Aí, ponderei, vocês vão concordar que com razão, que baseada nas últimas segundas, não dava pra garantir muita sensatez, e acrescentei o prefixo para garantir a credibilidade... Ele vem, originalmente, do blog Should be reading, e pode ser sobre qualquer coisa relacionada a livros...

Na sequência, um top 10 de livros de autores de fala espanhola que valem a leitura:

A louca da casa, Rosa Montero
Primer amor, Espido Freire
Cuentos de Eva Luna, Isabel Allende (em português aqui)
A sombra do vento, Carlos Ruiz Zafón
O túnel, Ernesto Sábato
El amor en los tiempos del cólera, Garcia Márquez (em português aqui)
Doberman, Gustavo Ferreyra
Tia Julia y el escribidor, Vargas Llosa (em português aqui)
Dos veces junio, Martin Kohan (em português aqui)
Javier Marías, qualquer título



segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Musing Mondays, (in) Sensatas Segundas

Resolvi rebatizar o Musing Mondays pela aliteração Sensatas Segundas. Aí, ponderei, vocês vão concordar que com razão, que baseada nas últimas segundas, não dava pra garantir muita sensatez, e acrescentei o prefixo para garantir a credibilidade... Ele vem, originalmente, do blog Should be reading, e pode ser sobre qualquer coisa relacionada a livros...

O top 5 de hoje é os livros de literatura escrita por autores norteamericanos que eu acho que valem a leitura:

1. I know why the caged bird sings, Maya Angelou (em português aqui)
2. The NY Trilogy, Paul Auster (em português aqui)
3. The house of sleep, Jonathan Coe (em português aqui)
4. So much for that, Lionel Shriver (em português aqui)
5. Bird, Crystal Chan (em português aqui)
6. One flew over the cuckoo's nest, Ken Kesey (em português aqui)
7. The road, Cormac McCarthy (em português aqui)
8.  To kill a mockinbird, Harper Lee (em português aqui)
9. Fahrenheit 451, Ray Bradbury (em português aqui)

Veja só, estou fazendo a lista de cabeça, sem pensar, e tenho certeza que assim que clicar em publicar vou ter um surto psicótico pensando nos autores que não me vieram à mente. Contudo, nesse momento, coube meu livro querido The storied life of AJ Fikry, da Gabrielle Zevin. Ela é norteamericana, entra na lista. (em português aqui, embora lembra? nesse caso a edição estava com uma tradução bem ruinzinha)


segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Musing Mondays, (in) Sensatas Segundas

Resolvi rebatizar o Musing Mondays pela aliteração Sensatas Segundas. Aí, ponderei, vocês vão concordar que com razão, que baseada nas últimas segundas, não dava pra garantir muita sensatez, e acrescentei o prefixo para garantir a credibilidade... Ele vem, originalmente, do blog Should be reading, e pode ser sobre qualquer coisa relacionada a livros...

Resolvi começar uma série top 5 (não preciso de muito pra fazer listas de top 5). A primeira será top 5 livros de literatura brasileira que eu acho que todo mundo deveria ler:


Jubiabá, Jorge Amado
Comédias da vida privada, Luís Fernando Veríssimo
Éramos seis, Maria José Dupré
Venha ver o por do sol e outros contos, Lygia Fagundes Telles
Felicidade clandestina, Clarice Lispector
Missa do galo e outros contos, Machado de assis
Um certo capitão Rodrigo, Érico Veríssimo
Ou isto ou aquilo, Cecília Meireles
A marca de uma lágrima, Pedro Bandeira.
As reinações de Narizinho, Monteiro Lobato.

Eu disse top 5? quis dizer top 10, obviamente.

Títulos a acrescentar?


.

Você nunca realmente entende os outros até ver suas estantes.


segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Musing Mondays, (in)Sensatas segundas - livros sobre fatos reais

Resolvi rebatizar o Musing Mondays pela aliteração Sensatas Segundas. Aí, ponderei, vocês vão concordar que com razão, que baseada nas últimas segundas, não dava pra garantir muita sensatez, e acrescentei o prefixo para garantir a credibilidade... Ele vem, originalmente, do blog Should be reading, e pode ser sobre qualquer coisa relacionada a livros...

Inspirada em livros que li semana passada e estou lendo agora, pensei em falar um pouco sobre livros baseados em histórias reais.
Na verdade, acho que literatura sempre tem verdade. Eu mesma tenho dificuldade em me deixar levar por algo que seja completa e absolutamente fantástico, acho que já mencionei isso anteriormente. Claro, se a gente está falando de Harry Potter ou de Crônicas de Nárnia, podemos não ter daemons ou termos sido convocados por uma escola de mágicos, mas partilhamos os sentimentos dos personagens, e isso é sempre muito real.
Mas o que estou falando é de livros que tenham esse fundo jornalístico de lupa na história. Por exemplo, os que eu gostei:
me lembro do Corações sujos, do Fernando Morais, que nunca me canso de citar, porque foi tão sensacional.
Olga, do mesmo autor.
O diário de Anne Frank.
Christiane F. (o primeiro, não gostei do segundo)
Garota, interrompida (Susanne Kesey)

Acho necessário um enorme talento para escrever um desses livros, se você não é o protagonista, e manter o tom real para o leitor; ser o 'editor' apenas o suficiente para deixar a obra amigável, mas fazer com que essa essência de realidade permaneça, porque muitas vezes, é isso que atraiu a pessoa que comprou esse livro. - É também muitas vezes isso que pode fazer com que o brilho da obra fique um pouco mais obscuro, na minha opinião: errar o tom.
Eu sei que em algum momento já falei de livros realistas, por aqui. O que me compeliu a trazer isso à tona dessa vez foi que li  Philomena, acabei de acabar A bibliotecária de Auschwitz e estou no meio de Uma constelação de fenômenos vitais, livros inspirados por fatos reais e pesados, que requeririam esse tipo de talento.


segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Musing Mondays, (in) sensatas segundas

Resolvi rebatizar o Musing Mondays pela aliteração Sensatas Segundas. Aí, ponderei, vocês vão concordar que com razão, que baseada nas últimas segundas, não dava pra garantir muita sensatez, e acrescentei o prefixo para garantir a credibilidade... Ele vem, originalmente, do blog Should be reading, e pode ser sobre qualquer coisa relacionada a livros...

Vou falar de uma vantagem absurda que vejo na leitura digital: os livros gratuitos, ou freebies :)
De verdade, se você pensar bem, se você gosta, vai acabar indo atrás da autora/do autor/de similares, e se você não gosta, seu ódio é bem menor quando nada foi gasto além de tempo (que aliás é o maior investimento que se faz na vida).
E hoje achamos muitos freebies: eu sigo algumas páginas no facebook ou me inscrevo pra receber por e-mail, no Freebooksy, OHFB, Aesta's book blog e Smashwords, por exemplo, além do Story Cartel, que te dá livros em troca de sua resenha. Em português, não conheço muitos, mas principalmente para clássicos, as opções são grandes. Aqui, por exemplo, dá pra ler vários. (esse link está pro Orgulho e preconceito). Na maioria das vezes, você só se cadastra (e-mail e senha), e se inscreve para receber os lançamentos do dia se quer.
O Kindle me dá o Kindle first, opção de ler em primeira mão um de quatro livros que será lançado no mês, e mais a Lending Owner's Library, com vários títulos que a gente pode pegar emprestado por até um mês.
Se tem coisa mais legal que comprar livros, é comprar livros sem gastar dinheiro...




segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Musing Mondays, (In) sensatas segundas

Resolvi rebatizar o Musing Mondays pela aliteração Sensatas Segundas. Aí, ponderei, vocês vão concordar que com razão, que baseada nas últimas segundas, não dava pra garantir muita sensatez, e acrescentei o prefixo para garantir a credibilidade... Ele vem, originalmente, do blog Should be reading, e pode ser sobre qualquer coisa relacionada a livros...

Hoje vou falar da minha lista de desejos, inspirada pelo Edson, que colocou um post sobre coisas legais para booklovers no meu facebook:

 1. Eu levo livros pra manicure, e quando ela usa aquele algodãozinho, o kindle trava e o livro fica babado. Olha que legal esse treco:

 Every geeky book lover needs one of these gadgets. Why have I never seen one of these before?! 

2. Pijamas, o que dizer? E pijamas literários? Aliás já pensei que além desses aí, podia haver uns com citações, hein, hein?

 Read to Me. I adore these PJs. The nightly snuggle and book are an essential part of our bedtime routine. 

3. Não sei nem o nome desse negócio, (em inglês é embosser, mas em português deus sabe) mas olha o charme profundo do relevo:
Didn't know these existed and was TOTALLY surprised to receive one at Christmas! Perfect gift for any book lover who is trying to build a beautiful library. It adds the perfect touch of ownership and elegance. :-) 
4. Queria MUITO

Bookworm iPhone Case @ http://society6.com/product/Bookworm-n4S_iPhone-Case 
5. Fala SÉRIO
Darling luggage tags from Penguin for the book lover 
6. Preciso saber onde encontrar esse jogo. E aí preciso de férias de 90 dias.Book-opoly Board Game © Late for the Sky Production Company. "Book-opoly allows players a glimpse inside the many worlds of classic literature. A traditional property trading game... Interesting facts about the books and the authors are printed on the back of each property deed... Collect Bookstores and trade them in for Libraries. You may soon be elected President of the Book Club…or you may be tossed out of the game for three turns and sent to WATCH TV!"


7. olha que lindo!!
Read Necklace Pendant Dictionary Definition Antique - Book Lover Bookworm Librarian Teacher 1"x1"  Wood Tile (ball chain sold separately)
8. Eu coleciono lápis!!!

Penguin Pencils, i read so much penguin in lycee, so much literature exams about these books.
9. Olha que tudo!
Hemmingway First Draft Ceramic Travel Mug
10. Amo pulseiras que fazem barulho rsrs


















Stack of Books book locket the book lovers by TheMeltonPot
ficaadica gente! 26 de fevereiro viu! (ou Natal, ou dia dos professores, ou dia de Santa Bárbara... sei lá, o que você achar que deve comemorar eu tô dentro)

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

(In) sensatas Segundas, Musing Mondays

Eita! esse post tava fantasma!!! Vamos repostar...


Resolvi rebatizar o Musing Mondays pela aliteração Sensatas Segundas. Aí, ponderei, vocês vão concordar que com razão, que baseada nas últimas segundas, não dava pra garantir muita sensatez, e acrescentei o prefixo para garantir a credibilidade... Ele vem, originalmente, do blog Should be reading, e pode ser sobre qualquer coisa relacionada a livros...

Hoje vou falar de livros de criança... na verdade, da inveja que sinto das crianças porque elas hoje em dia leem muito mais que na minha geração se lia. Ou talvez na minha casa.
Não me entendam mal. Na minha casa havia Barsa, enciclopédia Conhecer, enciclopédia da família, coleções de livros que vinham em revistas, e mais tarde, gibis. Minha mãe disse que eu aprendi a ler andando atrás dela com gibis na mão.
Mas não me lembro de termos livros infantis em casa, tenho certeza que não tive nenhum livro quando era bebê ou até os cinco anos que fosse de criança, e o primeiro livro que me lembro de ter lido que era mais ou menos equivalente à minha faixa etária tinha sido na verdade comprado para alguma criança amiga da família (provavelmente prima de segundo grau), e era esse aqui, Lilica, a formiguinha lírica, comprado nas Edições Paulinas, acho, na Sé, com a minha mãe:



Quem se lembra do primeiro livro lido, criança, antes de ir pra escola?



segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Musing Mondays, (In) sensatas segundas

Resolvi rebatizar o Musing Mondays pela aliteração Sensatas Segundas. Aí, ponderei, vocês vão concordar que com razão, que baseada nas últimas segundas, não dava pra garantir muita sensatez, e acrescentei o prefixo para garantir a credibilidade... Ele vem, originalmente, do blog Should be reading, e pode ser sobre qualquer coisa relacionada a livros...


Vou falar sobre revistas. Eu trabalhava como gerente de uma escola na qual comprávamos em torno de 15 revistas mensalmente para os alunos, e sempre achei isso o máximo. Comprava na sexta, lia no fim de semana, levava pra escola na segunda e ainda conseguia recomendar os artigos para as pessoas certas.
Isso quer dizer que eu lia pelo menos 15 revistas mensalmente. Antes disso, eu era daquelas assinantes, sempre adorei assinaturas, receber um pacotinho em casa. E depois/durante, descobri a maravilha dos pontos de cartão de crédito, que se transformam em coisas. Aí assinava revistas por três, seis ou doze meses.
Finalmente, comecei a ficar com um pouco de remorso, porque enquanto antes tinha acesso a reciclagem, hoje meu prédio não faz, e embora eu sempre doe revistas e gibis, fico achando que é muito dinheiro e papel gasto sem necessidade.
Só que não... adoro revistas, adoro ir a megastores e folhear várias, escolher algumas e tomar um café lendo, adoro trazer umas três pra casa e passar a tarde entre ler e olhar pela janela as árvores ao lado. Luto contra ainda, mas adoro.
Minhas favoritas foram mudando (já fui garota Capricho e Clarice, lembra dessa revistinha?), lia Nova há dez anos, hoje sou mais Claudia, se é que você me entende... meu demográfico definitivamente mudou... compro ainda a Minha casa, herança da reforma, que durou seis meses acontecendo e três anos sendo planejada. Gosto da Estilo. Gosto da Exame. Gosto da Super.
Anotou? meu aniversário é em fevereiro, #ficaadica. Quais as suas revistas?

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Musing Mondays, (in) sensatas segundas

Resolvi rebatizar o Musing Mondays pela aliteração Sensatas Segundas. Aí, ponderei, vocês vão concordar que com razão, que baseada nas últimas segundas, não dava pra garantir muita sensatez, e acrescentei o prefixo para garantir a credibilidade... Ele vem, originalmente, do blog Should be reading, e pode ser sobre qualquer coisa relacionada a livros...

 Musing Mondays asks you to muse about one of the following each week… • Describe one of your reading habits. • Tell us what book(s) you recently bought for yourself or someone else, and why you chose that/those book(s). • Tell us what you’re reading right now — what you think of it, so far; why you chose it; what you are (or, aren’t) enjoying it. • Do you have a bookish rant? Something about books or reading (or the industry) that gets your ire up? Share it with us! • Instead of the above questions, maybe you just want to ramble on about something else pertaining to books — let’s hear it, then! (do blog Should be Reading, lá da minha lista de blogs)

Vou ter de falar sobre algo beeem cabeludo: A importância dos primeiros capítulos.
Começo pelas primeiras frases. As que eu me lembro, podiam cair numa prova e eu saberia:
Moby Dick: Podem me chamar de Ismael.
Anna Karenina: Todas as famílias felizes são igualmente felizes, as infelizes são infelizes cada uma à sua maneira.
As intermitências da morte: No dia seguinte ninguém morreu.
O do Dickens: Foi o melhor dos tempos, foi o pior dos tempos. Foi a idade da sabedoria, foi a idade da tolice...

Você já sabe que alguém é bem genial quando conseguem fazer você franzir a testa na primeira linha.
Mas é muito, muito legal quando essas pessoas te seguram pelo primeiro capítulo de modo inesperado. Sabe quando você vai à livraria, bem assim despretensiosamente, e começa a folhear um livro do qual talvez não tenha nem referência? E quando vai ver leu a página inteira? Isso sim é um presente.
Me aconteceu hoje, com Running barefoot, da Amy Harmon. Eu não estava com nenhum livro programado, e esse estava há meses esperando. O lugar onde eu estava não tinha wifi, então não podia baixar nada novo. Adorei o primeiro capítulo, (e o segundo e o terceiro).
Em tempo: não é genial e brilhante como os supracitados, mas não é todo mundo que pode ser Dickens, Saramago ou Tolstoi, né.






 

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Musing Mondays, (In)sensatas segundas

Musing Mondays asks you to muse about one of the following each week… • Describe one of your reading habits. • Tell us what book(s) you recently bought for yourself or someone else, and why you chose that/those book(s). • Tell us what you’re reading right now — what you think of it, so far; why you chose it; what you are (or, aren’t) enjoying it. • Do you have a bookish rant? Something about books or reading (or the industry) that gets your ire up? Share it with us! • Instead of the above questions, maybe you just want to ramble on about something else pertaining to books — let’s hear it, then! (do blog Should be Reading, lá da minha lista de blogs)

 Resolvi rebatizar o Musing Mondays pela aliteração Sensatas Segundas. Aí, ponderei, vocês vão concordar que com razão, que baseada nas últimas segundas, não dava pra garantir muita sensatez, e acrescentei o prefixo para garantir a credibilidade...


Vou falar de algo que eu realmente detesto: livros que tem os atores dos filmes na capa. De cara, consigo lembrar deste, que foi o "Quem quer ser um milionário", deste, que é um dos meus livros favoritos, e deste. Eu entendo que seja um meio de vender mais, porque sempre há pessoas que falam 'vou ver o filme/já vi o filme/vou ouvir falar do filme/ então é melhor eu ler o livro', compelidas pela curiosidade, mas pra mim é brochante, desculpe o termo chulo, começar com a imagem 'emprestada' de alguém sobre o personagem. Às vezes, inclusive, ela é muito diferente da descrição do livro, e aí meu cérebro entra em curto circuito! tipo, peraí, ela não tem cabelos castanhos? porque estão falando dos cachos dourados? Isso quando eu mesma já não ignoro a própria descrição, seja do livro ou da capa, porque sou teimosa e crio as personagens do jeito que eu quero.
Gostaria de lançar a campanha "se existe um filme, façam uma jaqueta para a capa e outra capa dentro do livro", pra que eu possa sutilmente me livrar da jaqueta. Quem tá comigo?

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Musing Mondays, (In) sensatas segundas

Musing Mondays asks you to muse about one of the following each week… • Describe one of your reading habits. • Tell us what book(s) you recently bought for yourself or someone else, and why you chose that/those book(s). • Tell us what you’re reading right now — what you think of it, so far; why you chose it; what you are (or, aren’t) enjoying it. • Do you have a bookish rant? Something about books or reading (or the industry) that gets your ire up? Share it with us! • Instead of the above questions, maybe you just want to ramble on about something else pertaining to books — let’s hear it, then! (do blog Should be Reading, lá da minha lista de blogs)

 Resolvi rebatizar o Musing Mondays pela aliteração Sensatas Segundas. Aí, ponderei, vocês vão concordar que com razão, que baseada nas últimas segundas, não dava pra garantir muita sensatez, e acrescentei o prefixo para garantir a credibilidade...

Semana passada falei de duas coisas, da série dos Instrumentos mortais, da Cassandra Clare, que eu havia começado, e do fato de que ia fazer um curso na área editorial. Foi interessante porque eu me via, lendo os livros e pensando mais do que nunca em tudo que os havia feito virar o que eu tinha nas mãos. Então hoje vou escrever um pouco sobre algumas das coisas que foram mencionadas:

Li a coleção no kindle, em inglês, o que aliás me custou 30 dólares pelos seis livros - mais ou menos 80 reais.  Dói um pouco o coração, nénão?, considerando que a média cobrada por cada volume aqui está em 35 reais. (Bom, verdade seja dita, estou comparando o e-book americano com o livro físico em português, então talvez a diferença seja menor). De qualquer modo, a pessoa que deu o curso é dona de uma editora e trabalha com isso há anos: ela alegou que na verdade o valor dos livros caiu em 40% nos últimos anos, e se estamos achando caro, é realmente porque a gente tá com pouco dinheiro. Mesmo. Ela também disse que as editoras acabam com 45% do valor do livro, e como ele é consignado para as livrarias, há dificuldade em saber quando, ou até mesmo se, virá retorno financeiro da obra.
Eu só conseguia pensar que nesse caso é quase miraculoso o fato de que há livrarias cheias e de que ainda compramos livros que não são best-sellers  - outra coisa que ela mencionou: as livrarias tem de escolher os volumes para expor e para consignar, por conta do espaço físico. Aí, dos livros que alguém gostou muito, acabam indo dois ou três para cada unidade. Isso não vira nem uma pilhinha, então vai direto pra estante. Nunca pensei em como isso nos influenciava - e agora faço mais questão do que nunca de ir fuçar na estante!
Mais uma coisa: qualquer livro, qualquer livro mesmo, segundo ela, sairá com erros, os chamados 'pastéis'. Às vezes em algum lugar inconspícuo, como na ficha catalográfica, outras vezes bem no meio do texto.
Foram discutidas também as dificuldades da tradução, algo que hoje mesmo a minha nova amiga famosa (tradutora de um dos livros que já está na lista dos mais vendidos e uma fofa sem fim!) acabou me falando também: não é só a língua, mas o tom certo, que 'fala' com o leitor (às vezes você não sente que o texto deu uma engasgada? é um desses momentos nos quais a tradução pode ter ficado ligeiramente a desejar e de repente o personagem não 'soa' como ele mesmo).

A indústria dos livros precisa de nós, minha gente! (e pode contar com a minha alma a qualquer tempo).

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Musing Mondays (In) sensatas segundas

Musing Mondays asks you to muse about one of the following each week… • Describe one of your reading habits. • Tell us what book(s) you recently bought for yourself or someone else, and why you chose that/those book(s). • Tell us what you’re reading right now — what you think of it, so far; why you chose it; what you are (or, aren’t) enjoying it. • Do you have a bookish rant? Something about books or reading (or the industry) that gets your ire up? Share it with us! • Instead of the above questions, maybe you just want to ramble on about something else pertaining to books — let’s hear it, then! (do blog Should be Reading, lá da minha lista de blogs)

 Resolvi rebatizar o Musing Mondays pela aliteração Sensatas Segundas. Aí, ponderei, vocês vão concordar que com razão, que baseada nas últimas segundas, não dava pra garantir muita sensatez, e acrescentei o prefixo para garantir a credibilidade...

Hoje vou misturar os dois últimos assuntos (livros juvenis e tv relacionada a eles) e falar da Cassandra Clare. Alguns podem se lembrar que há semanas eu mencionei que talvez fosse atrás dos livros da coleção que tinha os Shadowhunters (aparentemente aqui virou a coleção dos Instrumentos mortais, começando com Cidade dos ossos e seguindo com seis volumes). Esses livros estão na minha lista de desejos da Amazon há meses, porque achei que a tal Clary tinha uma vibração similar ao que eu amava na Lyra, do Phillip Pullman - mas como eu a via com frequência nos mesmos lugares que via as pessoas falando da série da Stephenie Meyer e depois, da Veronica Roth, fui deixando para depois. Tenho um certo orgulho de ler as coisas antes das pessoas (não de todo mundo, mas antes de virarem tendência absoluta, muito porque leio muitos blogs em inglês, antes de chegarem aqui no nosso cantinho, e 'pesco' as dicas isoladas) e devo confessar que depois que elas viraram moda perco um pouco a vontade de ler - aí penso, bom, agora posso esperar.
Enfim, tudo isso pra dizer que nada deu certo porque semana passada minha melhor metade estava viajando e fui explorar o Netflix, que tinha o primeiro filme da série. Não resisti e assisti. Próxima cena, eu perguntando às adolescentes conhecidas (ex alunas, a mini me filha da minha amiga, etc, não necessariamente na rua, tá?) sobre o desfecho. Próxima cena, eu clicando pra comprar os cinco primeiros volumes de uma vez no Kindle, que não aguento esperar.
Me disseram que (claro) o filme é muito pior que o livro, que o Jace é muito mais interessante e que a parte rocambolesca se torna menos tolinha. Me convenci. Conto pra vocês na próxima semana o que deu.
P.S.: Essa semana comecei o caminho da minha rendição oficial: amanhã faço o primeiro curso de preparação e revisão editorial.