Books read

Leticia's books

To Kill a Mockingbird
The Catcher in the Rye
The Great Gatsby
Of Mice and Men
Animal Farm
One Hundred Years of Solitude
Lord of the Flies
Romeo and Juliet
Little Women
A Tale of Two Cities
Frankenstein
The Count of Monte Cristo
The Secret Life of Bees
The Memory Keeper's Daughter
The Joy Luck Club
The Da Vinci Code
The Kite Runner
The Shining
The Silence of the Lambs
The Bourne Identity


Leticia's favorite books »
Mostrando postagens com marcador filmes. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador filmes. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 20 de julho de 2015

pequena alegria - filmes pra ver em casa

Oi! Faz um tempo que não falo de uma das coisas muito boas da vida: filmes! Nem vou nesse momento falar de estreias, embora hoje seja o dia universal da meia-entrada. Vou falar sobre os filmes que fizeram parte da minha história cinematográfica e estão na minha videoteca, e sugerir que você os busque para fazerem parte da sua J
1.      Garotas do calendário – é baseado numa história real, e um daqueles filmes que fazem seu dia ficar melhor. Um grupo de senhoras resolve levantar dinheiro para a comunidade posando eroticamente e causando um certo rebuliço. Embora tenha graça e humor, trata com seriedade e dignidade uma série de outras questões.
2.      Simplesmente amor – desafio você a manter-se alheio à esperança, amor e alegria depois de ver esse filme.
3.      Um conto chinês – eu sou parcial, porque amo o  Darín, mas esse filme tem sutileza, tem humor, tem reflexão, tem leveza. E tem o Darín.
4.      Os outros ou Cisne negro – de preferência, visto com alguém que não os assistiu. Lembra da primeira vez que você os viu, como foi deliciosamente surpreendente?
5.      Curtindo a vida adoidado – porque todo mundo precisa se lembrar como era ser adolescente nos anos 80. Mesmo que, hã hã, nem tenha sido.
Não falei de A vida secreta de Walter Mitty ou O fabuloso destino de Amelie Poulain porque esses merecem um post só pra eles, mas são meus filmes da tarde (e da noite, e da manhã) favoritos.




Termino sempre com mais amor pelo mundo depois de assisti-los (e sim, já os vi dezenas de vezes).

Pronto, vá comprar a pipoca, procure o netflix, o telecine play, a loja 2001, de dvds, a liquidação de filmes mais próxima... e divirta-se

segunda-feira, 13 de abril de 2015

top 5 das segundas - filmes anos 80

top 5 filmes que são a cara dos anos 80...


1. Feitiço de Áquila, aquele que um se transforma numa águia e o outro... num felino? nem me lembro, mas os amantes nunca se encontram senão por alguns minutos no fim do dia. Tão meigo, e me proporciona vários momentos "a gente tá parecendo Feitiço de Áquila, quando vc me liga eu não atendo e vice-versa".
2. Curtindo a vida adoidado, claro. Cansei de assistir, amo, desde a cena no museu até a cena do Twist and Shout. Primeiro contato de tantos adolescentes com Beatles ;)ferris bueller


3. Dirty Dancing, imagina! Apaixonante, e embora eu não consiga fazer nem dois movimentos de dança, o único filme que me faria querer fazê-lo.
4. Claaaro que eu tenho de falar do Clube dos cinco, embora ele seja um empate técnico pra miim com A garota de rosa shocking. A menina mais antiheroína, precursora das de hoje, né?
5. Ah, sem dúvida, John Travolta e Olivia Newton John cantando um pro outro em Grease, Nos tempos da brilhantina, tinha de estar nessa lista, né?

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Andanças de janeiro

O que eu fiz no primeiro mês do ano... gente, só comi! juro que me comportarei melhor em fevereiro. (ou não).

fui ao Vapor burger. Duas amigas no trabalho me disseram que precisavam de algo diferente na hora do almoço, e eu concordo em gênero número e grau que às vezes é essencial sair da mesmice. Tem dias que prefiro nem ir almoçar à ir aos mesmos lugares. Aí me lembrei desse lugar, que não grelha, não usa chapa e não frita nada do cardápio - e mesmo assim serve hambúrgueres. Legal, né? O lugar é superbonitinho, e como fomos durante a semana, estava bem tranquilo. Experimentamos o Australiano e o Beer Burger, além do milkshake com chocolate meio amargo. Veredito: legal, interessante, gostoso. Como não é caminho, provavelmente não voltaremos tão cedo, porque o conceito nos pareceu mais divertido que o gosto - e eu consigo me lembrar de dois outros lugares nos quais comemos hambúrgueres muito bons no bairro. Mas acho que vale a visita, especialmente para quem se sente megaculpado de comer junk food.

Gardênia restaurante - fofo, razoável, com pratos gostosos e um cheesecake de nutella que valeria a visita por si só.

Café Árabe - eu sou superviciada em comida árabe (menos os doces, até o momento). Tabule, kafta, as pastas, adoro. Pensa num lugar com preço honesto e comida supersaborosa. Muito bom.

Maria Escaleira Restaurante Polonês e Vodka bar - nome e sobrenome, né? A gente queria experimentar há muito tempo, porque não é muito longe do trabalho, e aproveitamos um dia que veríamos uma amiga para levá-la. Eu não conhecia nada da culinária polonesa, mas adorei tudo! A entrada, umas coisinhas de batatas com creme de alho e queijo, o prato principal, pierogis, que são bem típicos e muito gostosos (pra quem faz sempre a pergunta "parecido com que?", eu diria ravioli, mas a massa é muito mais leve, bem fininha). Me lembraram algo que comi na Eslováquia e supostamente era um prato típico, e depois me disseram que realmente esses pratos eram 'primos'. E as sobremesas muito boas, não muito doces e interessantes. Recomendo para todos, descendentes ou não. Os preços não foram terríveis também (o prato principal é 32,00). Achei uma foto na internet:

Homemade Pierogi

Esses todos estão em Pinheiros. Aí, pra dar uma variada...

Feirinha gastronômica Jardim das Perdizes - o estacionamento, à volta, é gratuito. Há mesas comunitárias, que estavam disponíveis. Comemos choripán no El chori loco, igual ou melhor que na Argentina, comemos sanduíche de pernil e calabresa artesanal, tomamos chop Banberg, comemos paleta no Me gusta, levamos pra casa o bolo de potinho do Oh pai!, (o de coco fez muito sucesso, o de trufa tinha, argh! fruta cristalizada),  e saímos rolando, quer dizer, felizes pra casa. Sei que sou um alienígena, mas foi quase minha primeira experiência com feirinhas gastronômicas (havia ido numa no MIS, mas que não é permanente, então acho que não conta).

L'entrecote d'Olivier - um, qualquer um que estudou marketing sabe que é muito esperta essa sacada de servir um prato único. E a fila na porta não deixa mentir que a coisa funciona, porque a expertise aumenta, né? mas acho que nesse caso, ajuda o fato de que o dono é um global e muito simpático. Fomos no aniversário de São Paulo, e ele tinha até anunciado na página do facebook que estaria nos restaurantes dizendo oi. E foi, de mesa em mesa, cumprimentando, tirando fotos pra quem não tem vergonha, fazendo piadinhas (pra nós, foi "estão gostando da vista, quase pro mar? não é mar, porque ainda não choveu, etc etc", porque estávamos à janela), sendo fofo de modo geral. E a comida é realmente ótima. A salada é boa, o entrecôte é perfeito, as batatas no ponto ideal, a mousse de comer de joelhos. Só não vamos com mais frequência porque a conta final fica bem salgada, mas vale a pena para ocasionais alegrias.

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

A Letícia lê - semana 4 - Vale a pena ler de novo :) Delicacy

Essa semana, fechando o mês, reli Delicacy, (está traduzido como A delicadeza, disponível em português bem aqui) do David Foenkinos, um autor francês. É um livro lírico, com cara de filme, de Walter Mitty, Amelie Poulain, Clementine e fofuras do gênero. Tem tristeza, mas é muito no nonsense, muito "a vida é melancólica e pode ser linda ao por do sol".

Há partes tristes, como "como de hábito, ela não conseguiu aproveitar o momento. Talvez isso seja tristeza: uma desconexão permanente do aqui e agora."; há partes agridoces "ele estava sozinho no mundo; e o mundo era Natalie". Há frases que resumem o que deve ser a sensação de ler um livro como esse: “He still felt just as light-headed, and a loop of the scene of the kiss kept playing in his head. It was already a cult film in his memory. Finally he opened the door to his apartment and found his living room much too small in comparison with his appetite for living.”

Tem coisa mais linda? Acho difícil. Sou muito apaixonada por esse livro. E vou te dizer outra coisa: tenho certeza que no original em francês ele deve ser mais lindo ainda. Ainda tomo coragem.

Fico com um pouco de remorso de reler livros, porque há tantos no mundo e tanta coisa que eu quero ler, mas é um acalento reler algumas coisas e descobrir que elas são realmente tão lindas e doces quanto você achou na primeira vez que leu, mesmo que hoje você seja outra pessoa.

domingo, 11 de janeiro de 2015

Pequena alegria da semana - A família Belier

Uma pequena grande alegria dessa semana que passou foi assistir ao filme A família Belier. O link do Espaço Itaú de cinema está aqui, com a sinopse. Não sei se a sinopse diz muito, contudo. A gente na verdade tinha ido ver outro filme (Se fazendo de morto), e descobriu que ele ainda estava na pré estreia. Tínhamos visto o trailer desse na outra semana, e resolvemos arriscar, mas tinha medo de ser meio dramático.
Tem drama, tem comédia, tem romance. Chorei numa cena, ri em várias, me emocionei em outras, e saímos falando de como era um filme que podia tão facilmente ter sido apelativo e hollywoodiano e conseguiu escapar de vários clichês. Tão fofo. Fiquei muito feliz de tê-lo visto.

Checa aqui:


segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

top 5 das segundas - filmes fofos

Hoje, inaugurando o top 5 que será meu novo post habitual das segundas, vou falar dos filmes mais fofos do universo:

1. A família Belier, ainda no cinema, por favor, vá ver.
2. A vida secreta de Walter Mitty. Parece meio maluco, (e é um pouco, porque coisas fofas são meio malucas) mas é tão, tão doce.

3. Ruby Sparks. Primeiro, esse ator é absurdo de bom. Segundo, a história é dessas (doces e malucas). Te faz suspirar no começo e no fim. Não sei porque não é muito conhecido. Devia.

4. O fabuloso desitno de Amelie Poulain, é claro. O pai de todas as fofuras.



5. Mais estranho que a ficção, outro filme que não entendo como não é famoso como outros. Além de tudo, tem a ver com livros.



Chorinho de top 5: Little miss Sunshine, com a linda linda linda da Abigail Breslin e o fantástico que eu já mencionei Paul Dano.

Corre no Now, Netflix, locadora, loja de dvds, o que quer que te ajude a passar a semana mais fofa do mundo na companhia desses filmes. Vai!!!!

Post inspirado pelos lindos do Rotaroots :)




domingo, 28 de dezembro de 2014

Feliz ano novo, feliz blog mais ou menos novo!!!



Ai gente tô tão empolgada!!! Acho que já decidi o que vou fazer em 2015. Comecei muito bem (na verdade eu sou fantástica no mundo das ideias, rs, mas como quero que tudo aconteça, fica um pouco difícil colocá-las no papel...), e talvez algo ainda mude, mas é assim:

O post Aventuras gastronômicas será mais abrangente (o nome que eu pensei até agora foi Andanças, eu tinha até uma música na cabeça, veja bem) e poderá incluir vida cultural em geral, assim posso falar do que tenha visto, ouvido, assistido, e ache que seja interessante dividir. Provavelmente acontecerá nos primeiros dias do mês mesmo, até porque se for algo de cinema, teatro, exposições, etc, tem prazo para sair, né?

No lugar do (in) sensatas segundas, entra algo que estou chamando de Top 5. Amo listas, acho que já disse mil vezes. Às vezes elas versarão sobre livros, às vezes sobre livrarias, às vezes sobre livros novos pra ler, mas podem passar por painéis no pinterest, sites que tenha descoberto, autores que estão esquecidos, enfim, qualquer coisa, né? Às segundas, começando a semana :)

O que estou lendo, obviamente, continua. Não se chamará mais WWW Wednesdays (sempre fico muito desconfortável por ter 'emprestado' o nome do site Should be reading, mesmo que dê o crédito); a verdade é que eu sempre falo do que li, bem pouco do que estou lendo e lerei em seguida, então acho que tudo bem, né rs! Creio que vou chamá-lo de A Letícia lê. (self centered much? gosto da aliteração, sugestões são benvindas) Provavelmente ainda às 4as.

O Timely classic, clássico do momento, continua e provavelmente fica na última semana do mês, dentro do post acima. As outras semanas terão outras coisas:
Vale a pena ler de novo (será que alguém da nova geração entende a piadinha com as novelas da tarde, rs?), falando de livros que resolvi reler, porque essa semana me vi olhando um Paul Auster, que é um dos meus autores favoritos, e sem lembrar da história;
um temático (oi Silvia!), tipo, livros de crime, drama, mistério, não ficção, etc, por uma semana (o máximo que consigo me comprometer por enquanto, rs)
e um que estou chamando de Nos estandes, no qual eu leio algum livro que está em exposição nas livrarias (como descobri um que estou lendo essa semana).

Também quero fazer uma imagem da semana, porque há várias muito fofas, talvez na 6a., e pensei em dividir uma citação (tenho cadernos cheios) uma vez por semana, talvez no domingo, e chamá-la de Pequena alegria da semana. (no lugar da Teaser Tuesday)

O Blog vida Organizada, que eu amo, fez um post lindo, muito visualmente organizado sobre como fazer tudo isso aqui ficar bonito. Assim que eu fizer isso, talvez algo entre, algo saia, algo seja percebido como redundante ou tolo. Talvez eu perceba que sou redundante e tola. Talvez eu perceba que tô nem aí, rs. Enfim, por enquanto são ideias, mas que já passaram um pouco mais pro campo do possível. É um projeto.



quinta-feira, 16 de outubro de 2014

tag pixar - tag filmes infantis

TAG Disney


Maria, do Bombuteco, fez essa TAG e eu adorei. Na verdade, imediatamente eu não
 pensei na Disney (o único filme que me lembro de ter visto várias vezes quando 
criança era A bela e  a fera, mas os da Pixar, então está valendo, né?


1. Qual é o seu filme favorito da Disney?
Nossa. Começa assim, com a jugular, né? Acho que o que eu mais assisti foi
 Procurando Nemo. É uma mistura de fofuras.

2. Quem é o seu herói / protagonista favorito e por quê?
Eu sei que sou monotemática, mas a primeira coisa que me vem à cabeça 
é a Dory. É impossível não se apaixonar por aquele peixe!!! Em segundo lugar,
a Ariel (a Pequena Sereia), e em terceiro não muito distante, o Sebastian
 (o caranguejo da Pequena Sereia) e a xicarazinha bebê (como não amar?)
 da Bela e a Fera.



3. Quem é o seu vilão favorito e por quê?
Defina favorito. A da qual eu tinha medo era a Ursula, da Pequena Sereia.



                          



4. Um filme da Disney que merecia mais destaque.
Wall-E. É tão, tão doce, tão cheio de metáforas muito tristes, e sutis, e ouço 
pouca gente falar que gosta dele.

5. Uma cena de qualquer filme da Disney que você gostaria de experimentar.
Vou copiar a Maria e dizer que a cena da Bela na biblioteca é um clássico pra 
quem gosta de livros :) Mas adoraria brincar com a Boo também, porque
 sou apaixonada pelo Sully, de Monsters, Inc.

6. Qual é a sua música favorita da Disney?
Sei que sou uma exceção, mas a única música da qual eu me lembro, 
de todas, era a Under the sea, da Pequena Sereia, e provavelmente só 
porque quando comecei a dar aulas, em 95, a gente usava em alguma aula 
pros pequeninos.

7. Qual tipo de filme você prefere, animação, 2D ou 3D?
Adoro animação.

8. Qual é a sua frase ou citação favorita da Disney?
Me faz rir toda vez o cachorro do Up, Altas aventuras (que é tão lindo 
e romântico e meigo)



9. Qual é a sua princesa preferida?
(mas é também porque ela é a única princesa que gosta de ler!)
A Bela e a Fera
10. Qual filme da Disney já assustou você quando criança? (vou substituir 
por: Qual filme da Disney/Pixar te faz chorar?)
Toy Story 3 me faz derrubar diversas lágrimas toda vez. Merecia menção 
especial aqui. É tão pungente.


segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Desafio dos livros - dia 17 - um livro que virou filme e foi completamente destruído

Day 17- Book turned movie and completely desecrated

Eu ia falar da coleção da Stephanie Meyers (pode me xingar, mas eu não tinha vergonha de dizer que gostei até os filmes aparecerem e serem tão ruins), mas vou ficar com outro título:
Não foi COMPLETAMENTE horrível, mas sempre que eu falo da Sophie Kinsella, alguém diz, Ah, vi o filme, e embora eu goste muito da atriz, do ator, do roteiro (como eu disse, não foi COMPLETAMENTE deturpado), não tem o gargalhar alto que o livro me deu várias vezes. Não invejo o trabalho dos roteiristas, porque muito do que acontecia com a Becky Bloom era dentro da cabeça dela, mas de verdade, era muito divertido, e não fica assim no filme.
A história é sobre a Becky Bloom, uma jornalista financeira que é uma fraude, porque foge dos credores, compra desenfreadamente, está endividada até o pescoço e conta mentiras porque não consegue sair das enrascadas em que se mete. E ela se mete em várias. O livro que originou a série está à venda aqui, a coleção toda em inglês é essa:


e o site da Sophie, tão fofo quanto ela, é esse aqui.

Engraçado que eu tenho certeza que vou lembrar de vários livros que foram massacrados nos correspondentes filmes, mas só lembro dos bons agora:

Atonement, Ian McEwan (Desejo e reparação, que aliás eu só consegui gostar vendo o filme);
Delicacy, do David Foenkinos (A delicadeza do amor)
Cloud Atlas, do DAvid Mitchell (idem ao Atonement, só entendi vendo o filme, e olha que ele era confuso e longo. Aliás pensando bem talvez eu tenha uma deficiência séria cognitiva e a culpa não seja desses livros).
As crônicas de Narnia, do CS Lewis, na verdade o filme sem dúvida não é tão bom quanto nenhuma delas, mas foi bastante ok.
Não entro no mérito do Harry Potter porque foram sete livros, alguns filmes foram bons, outros nem tanto, e vamos combinar que poucos de nós teríamos feito trabalho melhor que quem fez de fato.

Trilha sonora do dia: Cansei de dar essa música em sala de aula. Thank you, da Dido.

domingo, 16 de fevereiro de 2014

Desafio dos livros - dia 16 - o melhor filme baseado em livro

Day 16- Favorite book turned movie

High fidelity, Nick Hornby (Alta fidelidade)




(me fala se só essa fala já não seria o suficiente pra se apaixonar?
"Livros, discos, filmes - essas coisas importam. Me chame de superficial. É a p... da verdade.")

O filme é com o John Cusack. O Rob, o personagem principal, dono de uma loja de vinis, ama listas e resolve fazer uma das ex namoradas para descobrir o que deu errado com a última, por quem ainda está apaixonado. Você acompanha a saga.
De verdade, outro livro dele, o About a boy, (Um grande garoto) com o Hugh Grant, (um personagem que não tem nada pra fazer porque é um herdeiro, cujo pai ganhou dinheiro com uma única canção de Natal que ele passou, claro, a detestar)  também poderia perfeitamente estar nesse post.
Foram fiéis, leves, os personagens tão agradáveis (likeable) quanto os originalmente descritos nos livros, a edição muito perfeita. São indicações para momentos leves, gostosos, com um toquezinho vago de incômodo suficiente para que você se identifique com os personagens mas não o suficiente para que não queira assistir numa tarde ensolarada. (isn't it the perfect amount?)

Trilha sonora do dia: You really got me (The kinks). :)

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Desafio dos 30 dias - dia 20 - um filme que te fez...

dia 20 - um filme que te fez ...

chorar: Eu sou bem chorona. Saí do Minha vida sem mim aos prantos. Os de Natal sempre me fazem chorar também, tipo A felicidade não se compra. Um sonho de liberdade sempre me pega nas mesmas cenas também. O espelho tem duas faces, pode rir. E Diário de uma paixão. Íris, a história da Iris Murdoch. 
se surpreender: Cisne negro. A onda. O leitor.  (aliás Kate Winslet é tudo de bom né)
pular na cadeira: Os outros.
rir até doer: meu, não consegui lembrar de nenhum. Aceito sugestões. 
ficar pensando: Truman show, Pequena Miss Sunshine, Garotas do calendário, Mais estranho que a ficção.

Trilha sonora do dia: minha favorita do The Cure, Pictures of you.

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Desafio dos 30 dias - dia 13 - filmes que você assiste sem parar

dia 13 - os filmes que você assiste sem parar

Não sei se compreendo a ideia.
Sem parar querendo dizer, várias vezes? O que me vem à cabeça são aqueles que, se estão passando na tv, paro e assisto, não importa quantas vezes já tenha visto.

Vários:
1. Curtindo a vida adoidado
2. Love, actually
3. Dirty dancing (só por essa cena já veria mil vezes)
4. qualquer um do Indiana Jones
5. qualquer um do De volta pro futuro
6. Monsters, Inc. ou Procurando Nemo
7. O fabuloso destino de Amelie Poulain, como não amar???
8. qualquer um do Ricardo Darín
9. Como perder um homem em 10 dias
10. Um sonho de liberdade
11. Tudo acontece em Elizabethtown